NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A autarquia quer transformar "o concelho num polo de atratividade de investimento, no domínio da competitividade empresarial", segundo Conceição Azevedo, presidente da câmara de Viseu. Por isso, irá investir na Área de Acolhimento Empresarial de Lordosa (AAEL). O investimento contará com financiamento através de fundos europeus.

A Câmara Municipal de Viseu aprovou o lançamento do concurso para a construção da primeira fase da Área de Acolhimento Empresarial de Lordosa (AAEL). O anúncio foi dado pela própria autarquia esta quinta-feira. Segundo a câmara, o prazo definido para a execução da obra é de um ano e representa um investimento global superior a 4,5 milhões de euros. O investimento contará com financiamento através de fundos europeus (CCDR – Centro) na ordem dos 85%.

 

De acordo com o jornal, a 1.ª fase das obras de urbanização da Área de Acolhimento Empresarial de Lordosa prevê já a construção e implementação de peças e estruturas essenciais para o bom funcionamento do espaço.

 

“O Município de Viseu definiu, como um dos seus eixos prioritários, transformar o concelho num polo de atratividade de investimento, no domínio da competitividade empresarial", começa por revelar  Conceição Azevedo, Presidente da Câmara Municipal de Viseu.

 

"A AAE de Lordosa é uma obra fundamental para fomentar é um passo decisivo para cumprir este objetivo”, acrescenta. A estrutura é ainda fundamental para a dinamização do Norte do Concelho, que poderá desta forma aumentar o emprego qualificado na região e, consequentemente, a fixação das populações.

 

Numa primeira fase, a AAEL irá suprir uma falha de mercado existente na região, atendendo à escassez de oferta de solo para a instalação de empresas, em contraponto com a elevada procura, revela o jornal Construir. Posteriormente, proporcionará às empresas um ambiente de negócios favorável à melhoria da competitividade e ao aumento da cooperação empresarial.

 

Note que a infraestrutura deverá começar a receber empresas a partir de 2022. “Com mais este importante investimento, esperamos potenciar a centralidade geográfica de Viseu e, dessa forma, captar para o concelho e para a região, investimento direto estrangeiro qualificado”, sustenta a autarca.

Partilhar