NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Apesar das adversidades, Portugal tem vindo a demonstrar alguns desenvolvimentos positivos na sua atividade económica, laboral, entre outras.

O Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (GPEARI), do Ministério das Finanças, lançou os dados referentes ao último trimestre de 2021, baseados nas estimativas do INE e da IGCP:

 

Atividade Económica:

  • Aumento do PIB de 0,4% no terceiro trimestre de 2021;
  • Aumento de 2 p.p no saldo do setor das Administrações Públicas, representando uma captação líquida do PIB de 3,9% e atingindo 1.904,1milhões de Euros (3,5% do PIB) no mesmo período de tempo;
  • Estabilização do indicador de confiança do consumidor em dezembro, após recuo em outubro e novembro;
  • Aumento da confiança na Indústria transformadora e na Construção e Obras Públicas;
  • Diminuição da Confiança no Comércio e nos Serviços;

Mercado de Trabalho

  • Taxa de desemprego de 6,4% (em outubro), totalizando 331,6 mil pessoas numa população ativa de 5,15 milhões;

Indústria do Turismo

  • Acréscimo inter anual de 265,5% de hóspedes e 287,7% de dormidas em novembro de 2021;
  • Diminuição de, respetivamente, 17% e 12,4% quando comparado com novembro de 2019;

Ajuste Externo

  • Comércio internacional: as exportações nominais de bens aumentaram em 3% em outubro de 2021, e as importações aumentaram 17,5%. Sentiram-se mais nas importações e exportações de materiais industriais e nas importações de combustíveis e lubrificantes;
  • Balança de Pagamentos: O saldo da CA (balança corrente) ascendeu, em termos acumulativos, a -1.442,64 milhões de euros, de janeiro a outubro. O saldo de bens permanece negativo (-11.850,90 milhões de euros). Opostamente, a balança de capital registou um saldo positivo de 1.823,37 milhões;

Desenvolvimentos de Preço

  • Taxa anual do IPC de 2,8% (estima) em dezembro de 2021;
  • Índice para produtos energéticos de 11,2% em igual época;
  • Aumento do índice de preços da produção industrial em novembro (18%);

Resultado Orçamental

  • Défice de 6.652 milhões de euros no orçamento das administrações públicas no final de novembro;
  • Aumento de receitas superior às despesas, 8,6% contra 5%;
  • Excedente primário de 60 milhões de euros;
  • Aumento de receitas fiscais, contribuições sociais, justificado pelos fundos europeus;
  • Acréscimo das despesas com medidas do COVID-19 de 5%; sem essas medidas, o acréscimo das despesas é de 2%;

Financiamento do Tesouro

  • Diminuição da dívida direta do Estado em 1.087 milhões face a outubro;
  • Aumento da PGB em 1.000 milhão de euros;
  • Diminuição do stock da dívida de retalho em 1.179 milhões de euros;

Dívida Geral do Governo

  • Dívida em Maastricht de 271,216 milhões em outubro, inferior comparativamente ao mês anterior;
  • Ascensão de 251.191 milhões da dívida de Maastricht líquida de depósitos das administrações públicas.

Partilhar