NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

As empresas portuguesas presentes na maior feira de calçado do mundo, que arrancou hoje em Milão, querem aproveitar os “claros sinais de retoma” para reavivarem o negócio, mesmo que o menor número de visitantes “não compense” financeiramente o investimento.

A marca de calçado desportivo Ambitious, da empresa Celita, vê no horizonte “um regresso à quase normalidade”, sendo a participação na 92.ª edição da MICAM – que decorre até terça-feira, em Milão, Itália – já a 15.ª presença em mostras do setor nesta estação.

 

De acordo com o diretor comercial, Pedro Lopes, a empresa de Guimarães, que emprega 180 trabalhadores, ressentiu-se “um bocadinho” dos efeitos da pandemia, mas “reagiu rápido” através da sua rede de agentes.

 

Após ter faturado 20 milhões de euros em 2019, a Ambitious registou uma quebra de 12% em 2020 e só em 2022 prevê retomar o volume de negócios pré-pandemia.

 

A presença na MICAM marca a segunda participação da My Cute Pooch em feiras internacionais, numa aposta que já lhe assegurou a entrada em 10 lojas multimarca em Espanha, três em França e duas em Itália, decorrendo atualmente “conversações” com retalhistas do Dubai, Bulgária e Grécia.

 

Em Portugal, a My Cute Pooch – que no primeiro ano de atividade faturou 200 mil euros e espera atingir um milhão de euros em 2021 – está já presente em lojas multimarca de “quase todas as cidades do Norte” do país, diz a fundadora.

 

Trinta e quatro empresas portuguesas de calçado participam, de hoje a terça-feira, na maior feira internacional de calçado, num dos “regressos mais esperados” após um ano sem edições presenciais, segundo a associação setorial.

 

O presidente da Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e Seus Sucedâneos (APICCAPS), Luís Onofre, destaca que “a MICAM é a principal feira do setor e é muito relevante para as empresas nacionais, uma vez que reúne os maiores ‘players’ do setor a nível mundial”, pelo que “a presença portuguesa na feira “é da maior importância para retomar os negócios”.

 

A participação nacional na MICAM insere-se na estratégia promocional definida pela APICCAPS e pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), com o apoio do Programa Compete 2020, e visa consolidar a posição relativa do calçado português nos mercados externos, para onde o setor exporta mais de 95% da sua produção.

Partilhar