NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

“A retoma em 40% do mercado de exportação de Portugal foi revista em alta significativa, mas o ambiente favorável acabou por ser contrariado com o corte no crescimento previsto para mais de 25% desse mercado de clientes”, revelam os cálculos do Dinheiro Vivo (DV), tendo por base os dados da AICEP, do INE e as mais recentes previsões de crescimento da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económicos (OCDE), ontem divulgadas no seu panorama (outlook) intercalar.

De acordo com a publicação económica do Global Media Group, Espanha, França e Itália compram cerca de 40% das exportações nacionais totais. “Este bolo conta, portanto, com um dos setores mais penalizados (e voláteis) devido à crise pandémica, o turismo e as atividades relacionadas, como transportes e alimentação”, conclui o Dinheiro Vivo.

 

Estes três países podem, segundo a OCDE, crescer mais em 2021 do que se previa no outlook de maio, uma boa notícia Portugal.

 

Por outro lado,  Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos que absorvem 25% das exportações portuguesas viram as suas projeções anuais diminuídas face a maio, o que pode ser uma péssima notícia para a balança comercial portuguesa.

Partilhar