NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A fábrica de Palmela do grupo Volkswagen deverá atingir o marco histórico ainda na primeira metade do ano.

Após dois anos consecutivos com recordes de produção, a Autoeuropa terá um marco histórico a assinalar este ano: o automóvel número três milhões a sair da fábrica de Palmela.

Até final do ano passado, a unidade de produção do grupo Volkswagen contabilizava 2.917.240 veículos montados. Ou seja, o "número mágico" está a uma distância de 82.760 veículos. Com base na produção média da Autoeuropa, a fasquia dos três milhões deverá ser alcançada em abril. Desde 1995, ano em que a fábrica começou a laborar, a Autoeuropa foi responsável por mais de metade dos quase 5,4 milhões de veículos produzidos em Portugal. E só no ano passado, a fábrica de Palmela representou 74,3% das 345.688 viaturas que saíram de linhas de produção em Portugal.

A Autoeuropa, aliás, é a quinta maior fábrica de veículos de passageiros da marca Volkswagen em todo o mundo, excluindo a China, em termos de volume de produção com mais de 256 mil unidades no ano passado.

E, excluindo 2018 e 2019, o volume da Autoeuropa no ano passado superou a produção automóvel total nacional em todos os anos desde 1998.

Um "gigante" exportador


Em 2018, último ano para o qual existem dados, a Autoeuropa foi responsável por 5% das exportações de bens de Portugal e representou 1,6% do produto interno bruto (PIB). O volume de negócios da fábrica de Palmela cifrou-se nesse ano em 3.247 milhões de euros, um aumento de 68,6% face ao registado em 2017.

As exportações no ano passado ascenderam a 255.354 veículos, um novo máximo histórico e uma subida de 16,5% face a 2018. Os mercados externos são o destino de 99,4% da produção da fábrica.

O início da produção do SUV compacto T-Roc foi o "motor" da aceleração da Autoeuropa nos últimos anos. Sendo que a produção acumulada nos dois últimos anos totaliza 477.800 unidades, quase tanto como os 490.995 veículos que saíram da fábrica entre 2013 e 2017.

O T-Roc levou a Autoeuropa a aumentar o número de turnos semanais de 17 para 19 a partir da segunda metade de 2018, o que permitiu o crescimento acentuado da produção.

Aliás, a fábrica demorou nove anos a atingir um milhão de veículos produzidos, o que ocorreu em 2003. Para alcançar os dois milhões de unidades foi necessária mais uma década. Agora, serão apenas precisos sete anos para que a barreira dos três milhões seja superada.

Partilhar