NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Depois de descoberta a primeira sílica vegetal no âmbito do projeto Alchemy, liderado pela Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa, a Amyris Bio Products Portugal tenciona "criar uma fábrica de produção de cosméticos", revelou hoje o diretor-executivo.

“Estou pronto a continuar a investir e a expandir a colaboração com a Universidade Católica. Quero agora investir numa fábrica para produzir cosméticos cá em Portugal e exportá-los”, afirmou hoje John de Melo, diretor-executivo da Amyris Bio Products Portugal, uma subsidiária da empresa norte-americana Amyris Inc.

 

Em declarações à agência Lusa, no âmbito do projeto Alchemy, John de Melo admitiu querer a fábrica pronta “para ontem”.

“Temos de tomar uma decisão rápida porque a procura existe. A fábrica existe e está a produzir produtos cosméticos nos Estados Unidos para exportar para a Europa. É obvio que temos de produzir na Europa, neste caso, em Portugal para exportar para o resto da Europa”, disse.

 

Também em declarações à Lusa, o presidente da Amyris Bio Products Portugal, Miguel Barbosa, afirmou que estão neste momento a “começar a avaliar oportunidades, até porque neste momento a Polónia também está na corrida”, sendo que o objetivo é que a fábrica exporte para a Europa, Rússia e Arábia Saudita.

 

O investimento "não deverá ultrapassar os dois milhões de euros", afirmou Miguel Barbosa, acrescentando que a criação da fábrica permitirá a contratação de "150 a 200 empregos altamente qualificados".​​​​​​​

 

O projeto Alchemy iniciou-se em 2018 com o objetivo de estudar e desenvolver novas aplicações para os subprodutos dos processos de fermentação da Amryris e da produção de cana-de-açúcar, potenciando o desenvolvimento de novas moléculas com aplicações na indústria cosmética e farmacêutica.

 

No âmbito do projeto, foi criada, em 2020, a primeira biosílica extraída da cana-de-açúcar com aplicação na indústria cosmética.

Partilhar