NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Uma tecnologia que permite gerir e otimizar a utilização de fertilizante mediante as necessidades nutricionais da planta, reduzindo o desperdício e impacto ambiental. Foi com esta solução que o INESC TEC venceu o terceiro lugar do Prémio de Inovação atribuído pela Associação Europeia EARTO (Associação Europeia de Organizações de Investigação e Tecnologia). É o único instituto de I&D português entre os vencedores.

O INESC TEC é a única entidade portuguesa entre os vencedores da edição de 2023 dos EARTO Innovation Awards. O Instituto alcançou o terceiro lugar na categoria “Impact Expected” – uma categoria que visa distinguir soluções com elevado potencial de impacto na sociedade e transferência tecnológica para o mercado - com a MyNPK – Precision fertilization sensing technology.

 

A MyNPK  permite melhorar a produção, reduzir o desperdício de fertilizantes e a sua consequente reutilização, minimizar o consumo de água e o impacto ambiental. É uma solução de fotónica inteligente, que combina espectroscopia e Inteligência Artificial, para quantificar azoto, fósforo e potássio (NPK) em fertilizantes líquidos - in situ e em tempo real. Trata-se de um sistema concebido para aplicar em métodos como hidroponia e fertirrigação - estando também em desenvolvimento para solos e fertilizantes orgânicos, assim como medição de absorção nutricional pela planta.

 

A fertilização de precisão é um processo que envolve o uso de tecnologias avançadas e análise de dados, de forma a aplicar, a uma determinada cultura, a quantidade certa de nutrientes no momento certo, tendo em consideração as necessidades específicas daquela cultura”, avança Rui Costa Martins, investigador principal do projeto no INESC TEC.


A tecnologia, já em fase de testes em hidroponia e protegida por patentes em vários países, distingue-se de soluções atualmente utilizadas, ao permitir a quantificação NPK no local de cultivo, sem recurso a reagentes – isto porque com os métodos atuais a quantificação tem de ser realizada em laboratório, com amostras composicionais complexas. “A nossa solução usa inferência de rede química para determinar a especificação de NPK e otimizar o fluxo de nutrientes de acordo com a fisiologia e absorção da planta, maximizando a produtividade e o uso de fertilizantes. O objetivo é tornar a produção de alimentos eficiente, resiliente, e sustentável devido ao impacto reduzido sobre o ambiente e qualidade da água”, conclui o investigador.
 
A cerimónia de entrega de prémios decorreu em Bruxelas, no dia 11 de outubro. Criados em 2009, os Prémios de Inovação EARTO visam distinguir membros da EARTO – uma associação europeia de organizações ligadas à ciência e à tecnologia, que o INESC TEC integra, destacando contribuições inovadoras, com elevado impacto social através de duas categorias: “Impact Delivered” e “Impact Expected”. A Associação EARTO integra mais de 350 membros de mais de 30 países.

Partilhar