NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

No terceiro trimestre de 2021, os 27 apresentaram um excedente abaixo dos 103,1 mil milhões do segundo trimestre e dos 88,1 mil milhões do período homólogo.

A União Europeia (UE) apresentou no terceiro trimestre um excedente comercial de 72,1 mil milhões de euros, ou 2% do Produto Interno Bruto (PIB) dos 27 países da comunidade, de acordo com os dados divulgados pelo Eurostat esta terça-feira.

 

Este valor configura um recuo face aos 103,1 mil milhões de euros de excedente registado no segundo trimestre de 2021 e de 88,1 mil milhões de euros no terceiro trimestre de 2020. A queda deve-se à diminuição do excedente relativo aos bens, compensada parcialmente pelo aumento do excedente dos serviços face ao segundo trimestre.

 

A União Europeia vendeu mais serviços ao exterior no terceiro trimestre, aumentando o excedente de 25,3 mil milhões de euros no segundo trimestre para os 29,7 mil milhões de euros. Na exportação de bens, o excedente caiu dos 76,2 mil milhões de euros para os 53,4 mil milhões de euros.

 

O excedente da balança de rendimento primário, ou os rendimentos resultantes de lucros, juros, dividendos, ou outras mais-valias de trabalho e capital, caiu para os 5,7 mil milhões de euros face a 21,2 mil milhões de euros. Já o défice da balança de rendimento secundário, as transferências de capital entre a UE e o exterior, o que o inclui, por exemplo, remessas de emigrantes, caiu dos 19,7 mil milhões de euros no segundo trimestre para os 16,7 mil milhões de euros no terceiro trimestre.

 

O excedente da balança de capital, entretanto, cresceu dos 300 milhões de euros para os 1,2 mil milhões de euros.

 

A UE registou excedentes no comércio com os parceiros comerciais Reino Unido, de 59,7 mil milhões de euros, Estados Unidos da América, de 32,6 mil milhões de euros, a Suíça, de 23,7 mil milhões de euros, o Brasil, de 5,6 mil milhões de euros. A UE apresentou, no terceiro trimestre, défices com a China, de 36,5 mil milhões de euros, a Rússia, de 9,2 mil milhões de euros, e com offshores financeiras, de 3,1 mil milhões de euros.

Partilhar