NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

"Foi aprovado o lançamento do concurso público internacional destinado à instalação, gestão, exploração e manutenção de redes de fibra ótica para territórios onde a mesma não existe, ou não existe com qualidade", lê-se no comunicado enviado após a reunião de Conselho de Ministros.

O Governo aprovou hoje o lançamento do concurso público internacional para instalação de redes de fibra ótica no interior, num investimento de 425 milhões de euros, segundo comunicado do Conselho de Ministros.

 

"Foi aprovado o lançamento do concurso público internacional destinado à instalação, gestão, exploração e manutenção de redes de fibra ótica para territórios onde a mesma não existe, ou não existe com qualidade", lê-se no comunicado enviado após a reunião de hoje.

 

A mesma nota refere que "o investimento global, de 425 milhões de euros, permitirá, sobretudo nos territórios do interior do país, o acesso à internet em banda larga".

 

Em setembro, a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, tinha garantido que o Governo ia lançar até ao final do ano o concurso público internacional para cobrir de fibra ótica as zonas brancas do território nacional.

 

Ana Abrunhosa reconheceu que Portugal é um país "a várias velocidades" na conectividade digital, mas que o Governo estava a trabalhar para resolver o problema, que afeta muitas zonas do país, sobretudo os de baixa densidade.

 

A governante revelou ainda que seu ministério estava a trabalhar há dois anos com a ANACOM - Autoridade Nacional de Comunicações, o ministério das Infraestruturas e as operadoras para lançar o concurso com brevidade.

 

Ana Abrunhosa explicou que se trataria de "um investimento que ultrapassa os 350 milhões de euros", financiado com fundos europeus em 50%.

 

Os restantes 50% serão colocados "pelos operadores grossistas que ganharem o concurso", que será feito por lotes, nomeadamente Norte, Centro, Lisboa, Algarve, Alentejo, Madeira e Açores, podendo ganhar diferentes operadores.

 

Em Dinheiro Vivo

Partilhar