NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A ronda de financiamento ‘seed’ foi liderada pela Shilling, sociedade de capital de risco portuguesa, e contou ainda com a participação dos investidores iniciais, nomeadamente a LC Ventures, REDangels e Best Horizon.

Com o objetivo de tornar mais acessível a criação e produção musical, a startup portuguesa Musiversal levantou 1,36 milhões de euros numa ronda de financiamento. A plataforma, que dá nome à empresa, disponibiliza músicos e produtores de estúdio para sessões de gravação de música.

 

A ronda de financiamento seed (inicial) foi liderado pela Shilling, sociedade de capital de risco portuguesa, e contou ainda com a participação dos investidores iniciais, nomeadamente a LC Ventures, REDangels e Best Horizon.

 

Com o investimento captado, a plataforma portuguesa de produção musical pretende “acelerar o crescimento, tendo o objetivo de quadruplicar o número de utilizadores”.

 

A criação da nova plataforma da Musiversal, em setembro de 2020, aconteceu numa altura em que a indústria musical enfrentava uma das piores crises de que há memórias, como consequência da pandemia de Covid-19. A solução da Musiversal é, através de uma subscrição mensal, permitir que músicos, produtores e engenheiros de som, “participem em sessões de gravação de música diretamente de casa”. Em 2021, a plataforma atingiu o marco das 3 mil sessões de gravação por mês.

 

“Os nossos utilizadores classificam as sessões com cinco estrelas em 98% das vezes que utilizaram a Musiversal, ou seja, sabemos que criámos uma subscrição que é um sucesso para os compositores e produtores de música. Agora, a nossa missão é fazer com que mais compositores experimentem o serviço”, afirma André Miranda, fundador e CEO da Musiversal.

 

Por sua vez, Ricardo Jacinto, sócio da Shilling salienta que, “a Musiversal está a entrar numa nova fase: esta ronda vai consolidar o seu crescimento e permitir à startup aproveitar a enorme oportunidade que surgiu com a pandemia, no sentido de facilitar o acesso à criação e à produção musical. Estamos muito satisfeitos por apoiar uma equipa tão dedicada, com tanta experiência e já com provas dadas em tão pouco tempo de existência”.

 

O modelo de negócio da Musiveral, segundo afirmam, permite tornar o processo de produção musical “dez vezes mais barato, facilitando o acesso ao processo de gravação de música” e ao contrário de outras tecnológicas da indústria musical, a Musiversal acredita que um modelo que dá um rendimento fixo aos músicos em vez de um rendimento altamente volátil é uma das “chaves do sucesso para uma expansão global e atrair os melhores músicos para estarem disponíveis na plataforma”.

Partilhar