NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Fundador e CEO da Nata Pura, empresa que a partir de Gaia exporta 99% da sua produção para 30 países, recupera a participação que era detida pela capital de risco estatal “com o objetivo de garantir a sua autonomia e o domínio dos mercados onde operam”.

Um produto tradicional com séculos de história, adorado por estrangeiros em Portugal, mas que não era fácil encontrar por esse mundo fora. A internacionalização do pastel de nata tornou-se uma oportunidade de negócio.

 

"Nasce assim desta falha de mercado, em 2013, o projeto da Nata Pura", relembra a Portugal Ventures, capital de risco estatal que acaba de sair da empresa fundada e liderada por Mabílio Albuquerque, que em 2014 "arriscou testar o produto numa feira em Londres, dado que era necessário perceber qual a recetividade de potenciais clientes, antes de avançar com o projeto".

 

Dois anos depois, afinado o modelo de negócio, Mabílio conseguia, finalmente, captar um investimento de 700 mil euros da Portugal Ventures, visando entrar em novos mercados e chegar a operadores de grande escala, desejavelmente, em metrópoles com 50 milhões de habitantes.

 

"Após cinco anos de trabalho conjunto com a equipa da Portugal Ventures e com 12 milhões de pastéis de nata vendidos anualmente, a Nata Pura (do grupo By Foods) recupera a sua participação na empresa, com o objetivo de garantir a sua total autonomia e o domínio dos mercados onde operam", anunciou a capital de risco pública, esta quarta-feira, 15 de dezembro, em comunicado.

 

O grupo By Foods é controlado por Mabílio Albuquerque, empresário que, com o apoio da Portugal Ventures, conseguiu transformar o pastel de nata numa "commodity".

"A pensar e a sonhar global, este é o exemplo de um projeto que desde o primeiro momento foi desenhado exclusivamente para os mercados externos - 99% das vendas são internacionais, realizando apenas 1% da sua faturação em Portugal, com um ponto de venda em Sintra", realça a Portugal Ventures,

 

Mabílio Albuquerque conta que "o pastel de nata tinha que ser liberalizado, tal como os donuts, os macarrons, muffins, cupcakes ou croissants franceses. O nosso objetivo era apresentá-lo como um produto de enorme potencial para se tornar um ‘staple’, uma ‘commodity’ no mercado global".

 

 O empresário confessa que "a criação da Nata Pura foi um processo de aprendizagem", pois "não sabia nada de pastel de nata, logística, paletização, etc."

 

"Neste processo foi necessário muita resiliência, análise do erro e acreditar. Só conseguimos ter esta postura quando a palavra problema é proibida", defende.

 

"A Nata Pura confirmou todo o potencial, atingindo vendas superiores a 3,5 milhões de euros, prometendo alargar a sua presença um pouco por todo o mundo, com uma oferta de produto cada vez mais diversificada. Desta forma e com este investimento, a Portugal Ventures concretizou um dos objetivos da ‘call’ a que a empresa se candidatou na altura - o de contribuir para a dinamização e inovação das indústrias mais tradicionais", enfatiza Filomena Pastor, diretora de investimento da área de enginneering & manufacturing da Portugal Ventures.

 

Empresa sediada no Candal Park, em Vila Nova de Gaia, com uma equipa de apenas oito pessoas, a By Foods exporta a Nata Pura para 30 mercados, incluindo os da Europa, Ásia, Médio Oriente e América do Norte, em cadeias de retalho alimentar como a Costco, Prêt-a-Manger, Domino’s Pizza e Paul Bassett na Coreia.

 

"Sendo o pastel de nata com mais prémios ganhos internacionalmente, a Nata Pura vai continuar a atestar a sua capacidade para escalar, não só em novos mercados, mas também em mercados onde já estão instalados, mas onde, por ora, ainda só abastecem um canal."

 

O objetivo de Mabílio Albuquerque é que "em todo o mundo se peça um Nata Pura em vez de um Pastel de Nata, como aliás já acontece na Coreia do Sul", afiança.

 

A Portugal Ventures já realizou este ano o desinvestimento em 17 empresas do seu portefólio, com destaque para as últimas operações de venda do Mercadão para a Glovo e da Zaask para a Worten.

Partilhar