NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A spin-off inSignals Neurotech, que desenvolve dispositivos médicos para a quantificação de sintomas motores de doenças neurodegenerativas de forma a obter melhores resultados clínicos, recebeu um investimento de 100 mil euros através da call INNOV-ID, para expandir ensaios clínicos em pacientes com Parkinson.

Esta iniciativa foi lançada pela Portugal Ventures, em resposta às medidas delineadas pelo Governo para capitalizar as empresas portuguesas em tempos de pandemia. Os fundos disponibilizados serão utilizados para acelerar a validação e o desenvolvimento de tecnologia patenteada, nomeadamente uma solução para apoiar cirurgias de estimulação cerebral profunda em pacientes que sofrem de Parkinson. O financiamento irá também permitir a validação de outras aplicações na área da neurologia e expandir a equipa de bioengenharia.

 

João Paulo Cunha, cofundador da inSignals Neurotech, investigador no Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) e professor na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) afirma que “há uma lacuna na análise objetiva dos sintomas motores neurológicos”, daí que “o financiamento disponibilizado pela Portugal Ventures irá permitir expandir os estudos clínicos a decorrer atualmente, com a participação de alguns dos mais experientes neurologistas a nível europeu. É também um ponto de partida para alavancar fundos internacionais, de forma a trazer ao mercado soluções que irão apoiar os profissionais de saúde na avaliação de diferentes doenças neurológicas”, acrescenta.

 

Com este investimento a empresa terá a possibilidade de expandir os ensaios clínicos preliminares, reforçar a sua posição em termos de propriedade intelectual, e aumentar a sua equipa. A inSignals foi selecionada como ‘One to Watch’ no prémio ‘Nature Spinoff Prize’ promovido pela prestigiada revista científica Nature, tendo já despertado o interesse de potenciais parceiros do setor industrial. De momento, a empresa encontra-se a finalizar acordos de colaboração para promover estudos clínicos multicêntricos em diferentes países: Portugal, Holanda, Alemanha e Espanha.

Partilhar