NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Enquanto o sector aguarda a publicação da Estratégia Nacional de Smart Cities, o secretário de Estado da Internacionalização, Bernardo Ivo Cruz, deixou ontem a garantia de que esta é “central para a política do Governo”. O governante esteve presente na inauguração oficial do stand Smart Portugal na feira internacional Smart City Expo World Congress (SCEWC), que abriu ontem as portas em Barcelona.

“Aguardarei a publicação da Estratégia e, quando o Governo o fizer, ficaremos todos a saber [no que consiste], mas uma coisa posso dizer: a estratégia nacional é central para a política do Governo”, disse o secretário de Estado em exclusivo à Smart Cities. Bernado Ivo Cruz acrescentou que “toda a política de digitalização é absolutamente central” para o Executivo, sendo o facto de a secretaria de Estado da Digitalização e da Modernização Administrativa, liderada por Mário Campolargo, responder directamente ao primeiro-ministro prova disso mesmo. “Há uma ligação directa entre o senhor primeiro-ministro e o trabalho do secretário de Estado Mário Campolargo.”

 

Em representação do Governo, Bernardo Ivo Cruz marcou presença na inauguração oficial do stand Smart Portugal naquela que é a principal feira internacional dedicada ao tema das cidades inteligentes, o SCEWC. A iniciativa nacional, promovida pelo NOVA Cidade – Urban Analytics Lab, com o apoio da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) e do Consulado Geral de Portugal em Barcelona, destaca-se por ser a primeira vez que Portugal está presente neste evento enquanto expositor.

 

Até quinta-feira, um conjunto de municípios e de empresas terá a oportunidade de partilhar e mostrar à comunidade internacional os projectos implementados e as soluções de inteligência territorial desenvolvidas em Portugal. Entre os expositores presentes estão os municípios de Lisboa, Porto, Guimarães, Braga e Vila Nova de Famalicão e as comunidades intermunicipais (CIM) do Oeste e de Viseu Dão Lafões. Do lado das empresas, o stand conta com Altice, AVPro, Focus BC, CEiiA e Wavecom.

 

“Se olharmos à volta, vamos encontrar soluções inteligentíssimas para problemas não só de cidades, mas de regiões e até de países (…) O segredo da nova economia que começa a despontar no séc. XXI é a inteligência; esta revolução industrial é uma revolução de inteligência e nós temos isso para dar e vender”, observou o secretário de Estado, não se mostrando surpreendido com a dinâmica exibida pelo sector.

 

Não obstante, a surpresa para Bernardo Ivo Cruz foi a colaboração que já existe entre os municípios. “Não tinha a noção da forma como os vários municípios têm vindo a colaborar [entre si] e isso é muito interessante”, confessou. Para o responsável político, a colaboração é o ingrediente-chave para “uma vida mais confortável, mais crescimento económico, mais qualidade de vida”, e deve envolver todos os agentes, desde o Estado central, aos municípios, CIMs, empresas, universidades, organizações não governamentais, etc. “Ninguém pode ficar fora deste diálogo”, sublinhou, assegurando que “o Governo quer e tem de trabalhar com toda a gente”, servindo de elemento que “traz todas estas pessoas e todo este conhecimento para a mesma mesa”.

 

Bernardo Ivo Cruz defendeu ainda a pertinência de se falar de Portugal enquanto “smart nation” [nação inteligente], sendo este um “país de média dimensão, com uma economia aberta e com uma natureza europeia e atlântica” e cuja “dimensão e qualidade de vida ficam a ganhar quando se trabalha em conjunto”. Nesse sentido, o secretário de Estado fez questão de lembrar que as soluções que estão a ser desenvolvidas para as cidades têm também de estar “disponíveis para as aldeias e para os lugares”, sendo a equidade no acesso aos serviços públicos digitais uma preocupação actual do Executivo: “Temos de ter soluções para toda a gente e nós estamos a olhar nesse sentido para o conjunto do país, [tendo em conta] as suas dificuldades específicas.”

 

A inauguração oficial do stand Smart Portugal aconteceu ao final da tarde de ontem, no entanto, ao longo do dia, o espaço foi palco de diversas apresentações dos expositores presentes. O mesmo está previsto para o dia de hoje, destacando-se a visita da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, e a apresentação do projecto Smart Region da CIM Oeste.

 

Barcelona volta, esta semana, a ser o epicentro da inteligência urbana, com a 11.ª edição do SCEWC a decorrer entre os dias 15 e 17 de Novembro. Segundo a organização, mais de 700 cidades marcam presença no certame, que conta ainda com um congresso rico nos temas mais pertinentes para quem trabalha com ambiente urbano e desenvolvimento sustentável. Paralelamente ao SCEWC, outros dois eventos têm lugar na Fira Barcelona: o Tomorrow.Mobility, enquanto iniciativa do Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia, vai dedicar a 2.ª edição a encontrar respostas para priorizar o transporte público, electrificar a mobilidade, utilizar zonas de baixas emissões e incentivar a micromobilidade; e o  PUZZLE X, que pretende dar destaque ao potencial de novos materiais – materiais quânticos, materiais de baixa dimensão e materiais 2D como grafeno, por exemplo – para responder a desafios da sociedade.

Partilhar