NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

É uma spreadsheet semelhante à da Google e às ferramentas disponibilizadas pelo Excel da Microsoft, e está disponível na nuvem. Um investimento de 13 milhões de euros vai permitir à Rows democratizar o acesso do público a esta ferramenta digital – a “Public Beta” – e ainda aumentar a equipa nas áreas de investigação, desenvolvimento e vendas, tanto na sede em Berlim como nos escritórios na Rua do Bolhão, no Porto.

Imprescindível para o trabalho das empresas e determinante na ajuda da sua produtividade, a inovação desenvolvida pela Rows suporta funções de Excel tradicionais como o SUMIFS, permite conetar qualquer célula ou tabela a aplicações de negócios como o Salesforce ou o LinkedIn, e ainda proporciona uma experiência de partilha moderna, que transforma folhas de cálculo em websites num só clique.

 

O objetivo é tornar o trabalho mais rápido, permitindo que equipas de negócio controlem e automatizem os seus processos, construindo ferramentas diretamente numa folha de cálculo, dispensando aos utilizadores conhecimentos de programação.

“O mundo continua a contar com as spreadsheets para gerir negócios através de biliões de documentos criados e partilhados todos os anos. Contudo, o trabalho moderno requer uma camada de colaboração e conectividade superior às de ferramentas existentes”, refere o cofundador da Rows, Humberto Ayres Pereira, em comunicado, alertando para o domínio que gigantes como a Google e a Microsoft ainda detêm.

 

A Public Beta permite a todas as empresas a criação de uma conta para utilizar a plataforma, sendo gratuita para equipas até dez utilizadores, mas há subscrições pagas para as empresas de maior dimensão. De acordo com a tecnológica, esta solução surge para dar acesso a uma lista de espera que contava com mais de dez mil contas.

 

Desde que começou, em 2016, a Rows – na altura Dashdash – sempre quis tornar tudo mais democrático. A ideia de oferecer uma tecnologia que permitisse, a qualquer pessoa, o preenchimento e análise de aplicações web recorrendo apenas a conhecimentos de Excel valeu-lhe um investimento de oito milhões de dólares (mais de seis milhões de euros) liderado pelo fundo norte-americano Accel, que já investiu em empresas como o Facebook, Spotify, Dropbox ou Slack.

 

Os investidores voltam a demonstrar confiança na tecnológica luso-alemã e esta nova injeção de capital servirá, também, para o desenvolvimento de aplicações para desktop, colaboração, integrações e gráficos.

 

“A habilidade de partilhar e publicar o trabalho como uma aplicação web é única e vai criar mais ‘citizen developers‘. Isto é essencial para as necessidades crescentes de uma força de trabalho tecnologicamente literada”, acredita Stephen Nundy, da capital de risco Lakestar, que liderou esta ronda de investimento.

 

No final do ano passado, a Rows foi distinguida pela Building Global Innovators na categoria de tecnologias de informação e comunicação, numa iniciativa que premiou as melhores jovens empresas tecnológicas portuguesas. O relatório “Scaleup Portugal 2020” colocou a tecnológica na lista das 25 maiores startups nacionais fundadas há menos de cinco anos que crescem a dois dígitos em número de trabalhadores ou de faturação.

Partilhar