NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A nova fábrica emprega 18 quadros locais, número que aumentará para 50 colaboradores até ao final de 2023, contribuindo ainda com 100 empregos indiretos.

A Sovena investiu 18 milhões de euros numa fábrica para produção e embalamento da marca de óleo Fula em Luanda, Angola, cujo objetivo é aumentar a eficiência do abastecimento naquele mercado, anunciou esta segunda-feira a empresa do grupo Nutrinveste.

 

Em comunicado, a Sovena detalha que a nova fábrica – que agora arranca a operação – integra linhas de embalamento com capacidade para 45 milhões de litros por ano, tendo ainda com capacidade de expansão. Atualmente, a unidade emprega 18 quadros locais, número que aumentará para 50 colaboradores até ao final de 2023, contribuindo ainda com 100 empregos indiretos, avança a empresa.

 

Num investimento total na ordem dos 18 milhões de euros, incluindo equipamento e stocks, a nova fábrica “consolida o compromisso da Sovena com a produção local, impulsionando a eficiência da cadeia de abastecimento no mercado angolano”, lê-se no comunicado.

 

“A fábrica em Angola é um marco importante na visão da Sovena de criar no país uma cadeia de produção eficiente que garanta a produção, processamento e fornecimento dos produtos nesse mercado, substituindo a sua importação”, destaca a empresa, lembrando a sua “forte tradição de exportação de óleo de soja para Angola, quer com a marca Fula, líder de mercado, quer com outras marcas”.

 

Citado no comunicado, o presidente executivo (CEO) da empresa do grupo Nutrinveste refere que a abertura da fábrica de embalamento em Luanda “marca o início da integração da Sovena na cadeia de produção alimentar angolana”, setor onde pretende “criar um sistema de alto valor acrescentado e gerador de empregos”.

 

“Esta unidade industrial é um marco importante na visão do grupo de criar localmente uma cadeia de produção eficiente e integral que inclui a produção, transformação, embalamento e abastecimento dos produtos da empresa ao mercado nacional”, salienta Jorge de Melo.

 

O responsável avança ainda que a Sovena “está também a estudar a possibilidade de apostar na área agrícola em Angola”, assumindo que este “é um setor que requer muito investimento, muito ‘know-how’ e um longo caminho a percorrer para criar as infraestruturas de suporte (comercialização de equipamentos e insumos: sementes, adubos, armazenagem, transporte) e para adaptar as práticas agrícolas às condições específicas de cada zona de Angola”.

 

A Sovena reclama a liderança mundial no setor do azeite, com as marcas Oliveira da Serra e Andorinha, e marca ainda presença no setor dos óleos vegetais, com as insígnias Fula, Vêgê e Frigi.

 

A empresa detém operações diretas em 12 países – Portugal, Espanha, EUA, Brasil, Chile, Argentina, Marrocos, Itália, China, Angola, Tunísia e Colômbia – e exporta para mais de 70 geografias, empregando cerca de 1.200 colaboradores em todo o mundo. A componente internacional representa 79% do negócio da empresa, que em 2022 registou uma faturação na ordem dos 1.800 milhões de euros.

 

Em ECO

Partilhar