NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

As quatro localidades juntam-se à Rede Global de Melhores Aldeias Turísticas da OMT, criada em 2021 e que reúne 190 aldeias. Destacam-se pela qualidade ambiental, cultural e patrimonial.

A localidade de Ericeira (Mafra), a vila de Madalena (Pico) e Manteigas e Sortelha (Sabugal) foram, esta quinta-feira, distinguidas com o selo “Best Tourism Village” da Organização Mundial do Turismo (OMT) das Nações Unidas juntamente com mais 50 destinos de todo o mundo. “As quatro vilas portuguesas são exemplos de como o turismo pode ser um motor de desenvolvimento local, contribuindo para a conservação do património natural e cultural, a melhoria da qualidade de vida das populações e a promoção da inclusão social”, afirma o Ministério da Economia e do Mar, em comunicado.

 

Nesta terceira edição da iniciativa, foram eleitos 54 destinos de todo o mundo, entre os quais estas quatro localidades portuguesas que se juntam agora à Rede Global de Melhores Aldeias Turísticas da OMT, criada em 2021 e que reúne 190 aldeias dos cinco continentes.

 

Também a aldeia de Vila de Frades, na Vidigueira, foi selecionada, mas desta vez para o Programa de Desenvolvimento, que se destina a aldeias que ainda não cumprem totalmente os critérios para serem Melhor Aldeia Turística mas que justificam o apoio da OMT, avançou a Turismo Centro de Portugal, numa nota enviada às redações.

 

Esta distinção premeia, assim, os melhores destinos rurais, a nível mundial, “promovendo o papel transformador do turismo nestes territórios através de estratégias de sustentabilidade alinhadas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas”, refere o Ministério. Estes locais destacam-se pela qualidade ambiental, cultural e patrimonial, assim como pela capacidade de promover o turismo de forma sustentável.

 

Os vencedores foram conhecidos durante a 3.ª edição da UNWTO – Best Tourism Villages 2023 que decorreu em Samarkand, Uzbequistão, à margem da Assembleia Geral e reunião da Comissão Executiva da OMT, nas quais Portugal participa, representado pelo secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Nuno Fazenda.

 

"Esta distinção, atribuída por uma das mais relevantes entidades turísticas do mundo, enaltece a excelência do turismo nacional, do interior do país e de ofertas turísticas diferenciadoras." Nuno Fazenda, Secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços

 

O secretário de Estado considera que “a atribuição destes prémios, cujos vencedores importa saudar, é um reconhecimento internacional à sustentabilidade e autenticidade do turismo português, que importa continuar a assegurar e a valorizar”. Nuno Fazenda diz ainda que “esta distinção, atribuída por uma das das mais relevantes entidades turísticas do mundo, enaltece a excelência do turismo nacional, do interior do país e de ofertas turísticas diferenciadoras“.

 

Nas edições anteriores já foram distinguidas as localidades de Cumeada (Sertã), Castelo Rodrigo (Figueira Castelo Rodrigo) e Castelo Novo (Fundão).

 

Este selo é válido por três anos e acaba por dar visibilidade às regiões, aumentando o seu potencial turístico. Passam ainda a integrar uma plataforma de partilha de boas práticas e experiências a nível internacional.

 

Entretanto, a Turismo Centro de Portugal já veio a público aplaudir distinção de dois destinos da região – Manteigas e a aldeia histórica de Sortelha. “A Organização Mundial do Turismo premiou dois destinos diversificados do Centro de Portugal, que têm em comum estarem implantados no território das Beiras e Serra da Estrela, e serem escolhas preferenciais dos visitantes”, refere Raul Almeida, presidente da Turismo Centro de Portugal.

 

O responsável refere ainda que estes “são dois exemplos paradigmáticos do impacto positivo que a atividade turística deixa nos territórios de baixa densidade, o que foi agora justamente reconhecido pelas Nações Unidas. Estão de parabéns o Município de Manteigas e a Aldeias Históricas de Portugal – Associação de Desenvolvimento Turístico, pelas candidaturas apresentadas”.

 

Em ECO

Partilhar