NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A Finerge anunciou hoje ter acordado com a Tecneira a aquisição de uma central fotovoltaica em Alcácer do Sal, com uma capacidade de 15 MWp (MegaWatt-pico) e que funcionará em mercado aberto, sem tarifa.

Com esta aquisição, cujo valor não foi divulgado, a Finerge diz aumentar a sua capacidade instalada em exploração “para 1.382 MW em Portugal e Espanha, passando a energia fotovoltaica a representar agora mais de 5% dos ativos da empresa”.

 

Em comunicado, a produtora de energias renováveis afirma ainda esperar, com este negócio, “passar a evitar a emissão de 1.661 quilotoneladas de CO2 [dióxido de carbono] para a atmosfera, face às 1.312 quilotoneladas que já evitou em 2020”.

 

“Continuamos a investir na diversificação do nosso portefólio de ativos, desta vez com uma aquisição que nos permite ir aumentando a nossa capacidade de produção de energia fotovoltaica, passando agora a contar com 17 centrais deste tipo, entre Portugal e Espanha”, afirma o presidente executivo (CEO) da Finerge, Pedro Norton, citado no comunicado.

 

Fundada em 1996, quando começou a desenvolver atividades de cogeração elétrica em Portugal, a Finerge é atualmente uma das maiores produtoras de energia renovável no país e a sexta maior operadora eólica da Península Ibérica.

 

A empresa emprega, direta e indiretamente, cerca de 200 colaboradores e opera nos vários níveis da cadeia de valor, desde a fase de conceção e desenvolvimento de projeto, passando pela construção até à exploração de centrais.

 

Através dos 679 aerogeradores instalados nas 56 centrais eólicas que explora e das 17 centrais solares fotovoltaicas de que dispõe em Portugal e Espanha, a Finerge tem atualmente “uma capacidade instalada de 1.382 MW [Megawatt], produzindo cerca de 3,2 TWh [Terawatt-hora) por ano e evitando a emissão de 1.661 kton [quilotoneladas] de CO2”.

Partilhar