NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A procura crescente por consumo de produtos de bens essenciais via internet levou o governo a decidir apoiar a criação de um ecossistema de inovação assente no digital, ao serviço do e-commece e da distribuição.

Esta ampla dinâmica de transformação económica em Marrocos, que está a ocorrer particularmente entre a população jovem e urbana, e conhecedora de tecnologia, é destacada nas principais conclusões do primeiro relatório do Jumia sobre comércio electrónico respeitante ao Norte de África e a Marrocos, produzido em parceria com a UNCTAD (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento), a IFC (International Finance Corporation) e a Mastercard.

 

O Jumia é uma das principais plataformas pan-africanas de comércio eletrónico, criada em 2012, com sede social em Casablanca e ativa em onze países africanos. Trata-se especificamente de um marketplace que liga vendedores e consumidores, um serviço de logística e um serviço de pagamentos, facilitando as transacções entre participantes ativos da plataforma em mercados seleccionados.

 

O referido relatório baseia-se em dados recolhidos na plataforma, ilustrando a evolução do comportamento de compra dos marroquinos e a importância e impacto das compras online em contexto da pandemia COVID-19, mostrando igualmente que muitos artesãos e comerciantes marroquinos iniciaram as suas vendas através de e-commerce, uma tendência que se alarga a todo o continente africano. De facto, os efeitos da pandemia suportados pelos esforços de marketing e comerciais realizados pelos diversos marketplaces levaram a uma alteração do mix de categorias de produtos, nomeadamente ao nível dos artigos de moda, beleza  e de FMCG (Fast Moving Consumer Goods), de acordo com 

 

As empresas portuguesas com interesse no e-commerce em Marrocos poderão solicitar à Delegação da AICEP no mercado uma cópia do estudo sobre e-commerce no mercado.

Partilhar