NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Segundo a Direção Regional de Estatística, 91,4% dos estabelecimentos do alojamento turístico da região tiveram movimento de hóspedes.

A Madeira registou 923,4 mil dormidas no alojamento turístico em abril, que resultaram em 56,1 milhões de euros de proveitos totais, mais 28,4% face ao mesmo mês do ano passado, anunciou a Direção Regional de Estatística (DREM), esta quarta-feira.

 

Em comunicado, a DREM indica que, de acordo com as estimativas referentes a abril deste ano, 91,4% dos estabelecimentos do alojamento turístico da região tiveram movimento de hóspedes.

 

A região registou 923,4 mil dormidas, que significaram um acréscimo de 10,9% em comparação ao mês homólogo (832,8 mil), refere a autoridade regional, acrescentando que também o proveito médio por quarto utilizado "cresceu 21,3% em termos homólogos no alojamento turístico da região, ultrapassando os 98 euros".

 

Já excluindo o alojamento local com menos de 10 camas (AL), "as dormidas do alojamento turístico registaram um aumento de 6,3%, relativamente a abril de 2022, inferior ao verificado a nível nacional (+13,8%)".

 

No que diz respeito aos proveitos totais e os de aposento, que também excluem o AL com menos de 10 camas, tiveram crescimentos homólogos de 28,4% e 27,4%, respetivamente, fixando-se nos 56,1 e 38,7 milhões de euros.

 

De acordo com os dados da DREM, a hotelaria concentrou, em abril, 73,1% das dormidas, crescendo 4,6% em termos homólogos, enquanto o alojamento local (24,4% do total) cresceu 34,3% e o turismo no espaço rural (2,4% do total), 17,1%.

 

Relativamente às dormidas dos principais mercados emissores, "verificaram-se variações homólogas positivas, no mês de abril de 2023, exceto no mercado britânico, que apresentou uma quebra de 5,4%".

 

"O mercado francês sobressaiu, registando o crescimento mais elevado, de 19,2%, seguido do mercado alemão, com um aumento de 1,9%. No mercado nacional, as dormidas também registaram um incremento face a abril de 2022 (+14,3%)", destaca a DREM.

 

Comparando o mês de abril deste ano com o mesmo período de 2019, antes da pandemia de covid-19, verifica-se que "a atividade no alojamento turístico apresentou um crescimento de 38,5% nas dormidas, com o mercado de residentes no estrangeiro a registar um acréscimo de 25,5%".

 

O valor da estadia média no conjunto do alojamento turístico registou uma ligeira descida, em abril, relativamente ao mesmo mês do ano anterior (4,45 noites), fixando-se nas 4,44 noites.

 

Os proveitos de aposento por quarto disponível rondaram os 75,08 euros no conjunto do alojamento turístico (excluindo o alojamento local abaixo das 10 camas), mais 22,5% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

 

"Se se restringir a análise à hotelaria, aquele indicador evidenciou um aumento homólogo de 23,5%, tendo o seu valor se situado nos 80,66 euros (+64,2% que em abril de 2019)", refere a DREM.

 

Por sua vez, o proveito por quarto utilizado (ADR) no alojamento turístico passou de 81 euros, em abril de 2022, para 98,29 euros, em abril de 2023 (+21,3% de variação homóloga), salienta a autoridade regional.

 

Já no que diz respeito aos dados acumulados entre janeiro e abril de 2023, "as dormidas no total do alojamento turístico na região registaram um acréscimo de 37,9% face ao período homólogo, ultrapassando, pela primeira vez, nos primeiros quatro meses de um ano, os 3,2 milhões, enquanto os proveitos totais e de aposento aumentaram 51,1% e 56,2%, respetivamente".

Partilhar