NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Um consórcio de 11 entidades submeteu uma candidatura à Rede de Pólos de Inovação Digital para a criação de um Pólo de Inovação Digital em Portugal, designado Farm2Fork_DIH.

A candidatura foi apresentada àquele Rede da responsabilidade da Portugal Digital, Direcção-Geral das Actividades Económicas, IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação e ANI — Agência Nacional de Inovação.

Este consórcio pretende ser um ecossistema de inovação dirigido aos sectores agrícolas e agroalimentar portugueses que visa desenvolver, testar e demonstrar soluções assentes em tecnologia digital avançada, com vista à sua aplicação em ambiente empresarial real com impactos efectivos na eficiência, produtividade e valor de toda a cadeia produtiva.

 

O consórcio

O consórcio responsável por esta candidatura conta com a credibilidade e competência e comprovada capacidade de realização de 11 entidades nos sectores agrícolas e agroalimentar em Portugal: CAP – Confederação dos Agricultores de Portugal, FIPA — Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares, APED — Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição, COTEC – Associação empresarial para a Inovação, PortugalFoods, Colab4Food, Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL), Aromi, INL, Beta-i e AgrogrinTech, em parceria com Portugal Ventures através do programa Ignition Partners.

 

Farm2Fork_DIH

O Farm2Fork_DIH representa uma abordagem 360º à modernização e digitalização destes sectores, com uma “proposta sólida, coerente, estratégica e dinâmica”. Este projecto pretende produzir a mudança necessária em toda a cadeia de valor agroalimentar – da produção agrícola, à indústria agroalimentar e à distribuição – através da actuação junto do tecido empresarial das diversas fileiras agrícolas e agroalimentares possibilitando a necessária digitalização que permitirá às empresas e demais operadores uma actividade mais eficiente, mais sustentável e mais adequada aos desafios globais.

Entre outras actividades, o Farm2Fork_DIH, pretende oferecer soluções digitais adaptadas à realidade e necessidades dos sectores em referência, com elevado potencial de comercialização no mercado, apoiar as empresas na procura de investimento para a sua digitalização, com recurso às ferramentas de rating de inovação da COTEC e formar e capacitar os recursos humanos das empresas agrícolas, agroalimentar e distribuição para a o mundo digital e as suas ferramentas.

Ainda, enquanto pólo diversificado e com valências transversais e diferenciadas, que agregam todas as actividades económicas envolvidas nestes sectores, o Farm2Fork_DIH assume-se como uma rede de contacto global onde necessidade e solução se encontram.

De acordo com Luis Mira, secretário-geral da CAP, “o polo funcionará como ponto de encontro de fornecedores e potenciais clientes-utilizadores dos sectores agrícolas e agroalimentares que, beneficiando da digitalização da cadeia de valor, poderão colaborar no desenvolvimento de novas soluções úteis e concretas que respondem a necessidades reais das empresas. A abordagem verdadeiramente integrada que este consórcio apresenta é diferenciadora, meritória e transformadora, motivos que nos levam a acreditar que merecerá o respectivo apoio e financiamento”.

O Farm2Fork_DIHpretende assim estimular o esforço colaborativo e de co-criação em domínios tecnológicos avançados, contribuindo também para concretizar o potencial tecnológico digital nacional.

 

Digitalização das pessoas e das empresas 

Estabelecendo como premissa a identificação e execução do que é prioritário, assim como o controlo rigoroso de todos os passos do processo e dos resultados obtidos nas empresas utilizadoras, a missão do Farm2Fork_DIH estabelece como prioritária a digitalização das pessoas e das empresas numa óptica dinâmica e estratégica que envolve toda a cadeia de valor alimentar, desde o prado ao prato.

O projecto Farm2Fork_DIH enquadra-se no compromisso assumido em 2019, quando 25 países europeus assumiram a digitalização da agricultura e áreas rurais europeias como prioridade e assinaram uma declaração de cooperação sobre “Um futuro digital inteligente e sustentável para a agricultura e áreas rurais europeias”, que visa, entre outros instrumentos, o estabelecimento de uma infra-estrutura de inovação – os Digital Innovation Hub (Pólos de Inovação Digital) – que se materializa numa cooperação entre vários parceiros para fomentar e implementar a digitalização das empresas e utilizadores.

Partilhar