NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A produtora transalpina de materiais de construção, que detém 17 fábricas em três continentes, fatura 500 milhões de euros e emprega cerca de duas mil pessoas, acaba de abrir em Rio Maior a sua primeira unidade industrial no nosso país.

O grupo italiano Kerakoll, que se apresenta como "líder internacional no setor da construção sustentável", acaba de inaugurar a sua primeira unidade produtiva em Portugal, que fica situada no Parque de Negócios de Rio Maior, distrito de Santarém.

 

"Com um investimento de mais de 11 milhões de euros e o envolvimento de mais de 100 operários especializados, a nova fábrica de Rio Maior foi construída em menos de um ano, apesar do contexto de pandemia", enfatiza a empresa em comunicado publicado no seu site.

 

"Portugal é o 9.º país em que a Kerakoll reforça a sua presença com uma unidade produtiva: trata-se de um mercado particularmente interessante pela potencialidade de crescimento económico e pelas dinâmicas em perspetiva, especificamente no setor da construção, graças também aos resultados obtidos na luta contra a covid-19 com uma elevada percentagem de população vacinada", enfatiza Andrea Remotti, administrador delegado do grupo Kerakoll, em comunicado do gabinete ad quadratum arquitetos, autor do projeto de arquitetura do complexo fabril em Rio Maior.

 

A nova fábrica portuguesa, que faz parte do do plano de desenvolvimento industrial da Kerakoll para os próximos cinco anos, no valor de 175 milhões de urros, reforça a presença do grupo na Península Ibérica, onde é já ativo com duas unidades produtivas em Espanha, uma em Almazora e outra em Castellón de la Plana.

 

A unidade industrial de Rio Maior está instalada numa área de 19 mil metros quadrados, dos quais 6.600 cobertos, e com uma capacidade produtiva de materiais de construção de 60 mil toneladas anuais.

 

"O projeto de natureza industrial visou edificar uma unidade com funções de fabrico, armazenagem, áreas administrativas e sociais, áreas técnicas e logísticas, tendo como denominador comum em todas as áreas de intervenção o foco na sustentabilidade ambiental", realça o ad quadratum arquitetos.

 

Assim, nesta unidade foram instalados 900 metros quadrados de sistemas para isolamento térmico e 443 painéis fotovoltaicos que "garantem a produção anual de 55% da energia elétrica e de 70% da água quente necessária", afiança o mesmo gabinete de arquitetura.

Partilhar