NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

No ano em que celebra 10 anos de atividade, a principal responsável pela ligação de empresas e startups em Portugal arranca em 2020 com um terço do seu objetivo de negócio cumprido.

Impulsionadora da aceleração da inovação e transformação digital para empresas e startups a nível nacional e internacional, a Beta-i tem levado a cabo vários projetos ligados a áreas estratégicas para o desenvolvimento da economia e, num ano em que celebra uma década de atividade, “arranca 2020 com 25 projetos de inovação aberta, aceleração de modelos de negócio e desenho de estratégias de inovação para clientes em quase 20 países”.

 

Algumas das principais empresas que atuam em Portugal (como Millennium BCP, Novartis, grupo José de Mello, Inmarsat, Siemens, Fosun / Fidelidade, Daimler, EDP, SIBS, Ageas, Semapa, Sonae, Galp e Nestlé, para além do Turismo de Portugal, Câmara de Lisboa e Ministério do Mar) “têm vindo a desenvolver projetos de inovação colaborativa com a Beta-i, que para o efeito  aciona uma rede de dezenas de milhares de startups de todo o mundo”, refere fonte da empresa.

 

Os processos de inovação aberta “facilitam a convergência e troca de expertise entre os dois lados para impulsionar a evolução e transformação de modelos de negócio a partir de soluções tecnológicas. Investidores, instituições públicas e centros de investigação de universidades também fazem parte deste ecossistema unido pela Beta-i, que ao longo da última década auxiliou o desenvolvimento de negócio de mais de 900 startups”. Entre as portuguesas, há várias já reconhecidas pelo mercado – caso da Uniplaces, Unbabel, Uphill e muitas outras.

 

Pedro Rocha Vieira, CEO e co-fundador da Beta-i, assinala que fintech e banca, economia circular, healthtech e farmacêutica, energia, água e economia do mar, cidades inteligentes e mobilidade são sectores que passam por uma acelerada transformação, contando por isso com uma maior pressão para se reinventarem.

 

“Colaborar com startups de forma concreta para o efeito, através dos programas de inovação aberta geridos pela Beta-i, é uma resposta que se apresenta ágil e pragmática para estes desafios que acreditamos que se vão intensificar nos próximos três anos”, refere.

 

A Beta-i tem em curso inúmeros programas baseados neste processo “que visa otimizar os negócios das grandes empresas através do desenvolvimento de pilotos com parceiros externos, orientados para necessidades previamente mapeadas”. Entre os principais programas destacam-se o Free Electrons (Energia), Smart Open Lisboa (SOL, com edições temáticas de Housing e Mobility), TechCare (Healthtech e Pharma), Protechting (Healthtech, Fintech e Insurtech), (RE)Set (Economia Circular, com edições temáticas de Retalho e Mobiliário), PayForward (Fintech e Payments), Bluetech (Blue Economy) e The Journey 4.0 (Hospitality e Tourism).

 

O Lidl, com o programa de apoio ao empreendedorismo social Mais Ajuda, e a Agência Nacional de Inovação (ANI) com o projeto de transferência tecnológica das universidades para o mercado Born from Knowledge / Rise track são outros dois dos que estão a trabalhar com a Beta-i.

Partilhar