NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Americana eXp, atualmente uma das imobiliárias com maior crescimento a nível mundial, instalou-se em Portugal. Sem lojas físicas, toda a formação e acompanhamento dos consultores é feita num ‘campus’ virtual.

Imagine um edifício de escritórios moderno e amplo, porém virtual, onde se cruzam centenas de pessoas reais telecomandando os seus respetivos avatares por estes espaços de trabalho.  Onde existem várias salas destinadas a reuniões para pequenos grupos, ações de formação para grupos maiores ou auditórios para conferências que podem acolher até 2.000 participantes. E onde se fala de compra e venda de casas, de angariações, de marketing  e de todos os pressupostos que regem a atividade imobiliária mas sempre através de uma plataforma a fazer lembrar o popular jogo “SIMS” para computador que recriava pessoas e mundos virtuais.

 

É neste cenário virtual que se move uma empresa bem real , a eXp Realty, uma das imobiliárias do setor residencial e comercial com maior crescimento mundial com os seus 39.000 agentes distribuídos pelos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Austrália, África do Sul, México e Índia e que chega agora a Portugal, em mais uma expansão internacional desta multinacional americana.

 

A eXp, que tem feito um percurso meteórico no mercado de ações americano NASDAQ, está a instalar-se em território nacional através da Consultan, uma das consultoras mais antigas, com mais de duas décadas de existência no mercado nacional.

Um dos pilares do sucesso de crescimento da eXp é a ausência de necessidade de um espaço físico. Não há, portanto, lojas abertas, os agentes estão antes, e literalmente, à distância de um clique sempre que quiserem ‘entrar’ no espaço de escritório.

 

“Mas a eXp é uma empresa imobiliária tradicional do ponto de vista do cliente. Angariamos as casas, estamos com os clientes, fazemos visitas,  nada disso mudou. O que fizemos foi remover os custos de ter um escritório, seguros e todas as outras despesas inerentes a ter um espaço físico. E oferecemos a oportunidade aos nossos agentes de criarem a sua marca, dando-lhes uma plataforma global para operarem o seu negócio ”, explicou Michael Valdes, Presidente da eXp Global e que ontem participou na conferência de lançamento da empresa em Portugal, num evento inédito, realizado na sede virtual da eXp e onde todos os participantes (jornalistas incluídos) tiveram de criar o seu avatar para marcar presença.  

 

A poupança com os custos fixos dá margem para aumentar a comissão dos consultores imobiliários que “dos habituais  40 ou 50% pagos, em média no mercado, acabam por ficar com 75% desse valor”, reforça ainda Guilherme Grossman, administrador da Consultan e agora também da eXp Portugal, acrescentando que a adesão dos novos consultores custa 100 euros no primeiro mês e 50 nos seguintes, “valor que cobre todo o apoio tecnológico necessário e acesso às formações dadas na universidade eXp”.  Para além das comissões, a empresa estabeleceu ainda um sistema de atribuição de ações como incentivo de vendas. “Logo na primeira transação que faz, o consultor recebe 150 euros em ações. Ou seja, torna-se logo acionista da empresa”, exemplifica Guilherme Grossman. 

 

Questionado sobre o futuro da Consultan, o administrador referiu que esta será mais uma etapa do crescimento da empresa, transitando a sua carteira de 2.000 imóveis para a rede da eXp. “A Consultan não vai desaparecer, bem pelo contrário, será antes integrada no novo grupo mantendo-se como ‘Consultan powered by eXp Portugal’. Vamos ganhar um potencial muito maior para conseguir chegar a mercados internacionais e de uma forma muito mais barata que vai permitir escoar os nossos produtos de maneira muito interessante”, referiu o responsável, dando como exemplo o crescente interesse dos americanos pelo imobiliário nacional.

 

A diversidade de clientes é outra imagem de marca da plataforma. “O posicionamento da Consultan é  mais focado em empreendimentos em Lisboa, Cascais e Porto mas a eXp vai trabalhar em qualquer ponto do país e em qualquer segmento. E já estamos a receber muitos pedidos, incluindo dos Açores e da Madeira”, apontou o responsável, referindo que espera chegar a cerca de 500 colaboradores já no próximo ano.

 

Lá fora o negócio cresceu a pique em tempos de pandemia, uma altura em que o distanciamento físico continua a ser a melhor prevenção. Nos seis países onde já está implantada, a eXp passou de 23 mil agentes no último trimestre de 2019 para os atuais 38 mil, quase o dobro, com a empresa a destacar-se na Nasdaq com uma valorização bolsista de 3,18 mil milhões de dólares.u

Partilhar