NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

No mercado português, a operação cresceu 5% em termos homólogos, avançou ao Jornal Económico José Dionísio, cofundador da tecnológica portuguesa. “Assistimos a uma forte procura de soluções cloud para a digitalização dos processos de negócio”, diz.

A tecnológica Primavera BSS viu o volume de negócios consolidado fixar-se nos 30 milhões de euros em 2020, o que correspondeu a um ligeiro aumento de 2,2% comparativamente ao montante registado no ano anterior – recordista para a multinacional portuguesa, cujo resultado havia escalado 20%.

 

Em Portugal, apesar dos constrangimentos resultantes do confinamento obrigatório e da crise sanitária e económica, a operação da empresa aumentou 5% em termos homólogos devido à maior procura de soluções de computação na nuvem (cloud), que cresceu 38%. No entanto, as percentagens ficaram aquém dos habituais dois dígitos.

 

José Dionísio, cofundador da Primavera BSS, avançou ao Jornal Económico (JE) que os resultados no mercado português foram alicerçados também na conquista de quota de mercado no segmento de empresas de média e grande dimensão, que aceleraram a jornada de transformação digital. No caso das micro e pequenas empresas, o software de gestão Jasmin destacou-se com um acréscimo de 40% na adesão.

 

“Em Portugal assistimos a uma forte procura de soluções cloud para a digitalização dos processos de negócio, particularmente no segmento das grandes empresas, como é o caso da Worten, da Luz Saúde, da Tecnovia ou da AICEP, mencionando apenas alguns clientes. Mas também no segmento das micro e pequenas empresas houve um aumento forte da procura de soluções de faturação online, que permitem faturar e gerir o negócio em casa ou em qualquer outro lugar”, explicou o ainda co-CEO.

 

O gestor da Primavera BSS, que todos os anos investe entre 23% e 25% do volume de negócios anual em I&D, destacou ainda a procura por soluções de comércio eletrónico (e-commerce), “uma realidade nova que eclodiu com a pandemia por força do forte crescimento das compras online”.

 

No ano passado, a empresa com sede Braga contratou 35 pessoas e em 2021 tem como objetivo aumentar o número de novas contratações para 40, de forma a dar continuidade à aposta no desenvolvimento de soluções tecnológicas cloud native.

 

É o caso da nova oferta Rose Accounting Services, desenhada para os escritórios de contabilidade. “Todos os estudos apontam para o crescimento do modelo de consumo de software como um serviço e nós vivemos atualmente uma fase de verdadeira revolução interna na nossa fábrica de software”, refere José Dionísio ao JE.

 

“É quase como se a Primavera estivesse a nascer outra vez, pois estamos a inovar na forma como desenvolvemos as nossas soluções, que passarão a ser 100% cloud native e serão uma nova proposta de valor para todos os gestores que valorizam a mobilidade, a facilidade de acesso à informação, o modelo de pagamento pay as you go e a praticidade de ter um provider de confiança que garante elevada performance, disponibilidade contínua, segurança rigorosa e acompanhamento da evolução tecnológica, legal e fiscal ao longo do tempo”, admite.

Partilhar