NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Os números ainda não estão totalmente fechados mas, já se prevê um recorde de vendas de vinhos da Região Demarcada do Douro em 2021, atingindo a fasquia dos 600 milhões de euros. O crescimento das exportações permitiu atingir estes valores que, apesar de ter recuperado terreno, está ainda 19% abaixo do período pré Covid-19.

Números adiantados ao ‘Dinheiro Vivo’ pelo presidente do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP), Gilberto Igrejas, dão conta que o ano foi “manifestamente muito positivo” e num “marco histórico” que reforça “a resiliência das gentes do Douro e dos agentes económicos nos mercados internacionais”.

 

Segundo a legislação, as declarações de vendas no mercado nacional devem ser entregues até 15 de janeiro, pelo que, só esta semana, será possível conhecerem-se os valores totais, porém, até ao momento, as vendas da região totalizam 599,2 milhões de euros. O maior contributo vem do vinho do Porto, que acumula vendas totais de quase 391 milhões de euros, 15% acima do ano passado e 3% acima já de 2019, ano em que, pela primeira vez depois de oito anos consecutivos de queda, o vinho do Porto deu sinais de recuperação, ao crescer 2,5% em valor.

 

Já para 2022, o IVDP aposta no reforço da promoção e dos pilares estratégicos da sua ação na região, com especial destaque para a sustentabilidade, em todas as suas vertentes, e para a inovação tecnológica e modernização administrativa. “Temos que rapidamente nos articular com todas as valências da sustentabilidade, incluindo a social, porque é preciso garantir que este valor que a região gera vai chegar, na cadeia redistributiva, aos agricultores”, defende Gilberto Igrejas.

Partilhar