NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) identificou, em todo o mundo, 150 projectos diferenciadores que pretendem combater a pandemia da COVID-19 e Portugal é o país com o maior número de soluções criativas, (19), o que corresponde a cerca de 11% do total.

Com diversas plataformas online lançadas neste período de pandemia, a OCDE destaca o site do Governo “Estamos ON”, que agrega dados sobre a resposta executiva (identificando as regras do estado de emergência nacional, por exemplo) e fornece informações à população (apoios às empresas, documentação e explicadores, avaliação da situação epidemiológica ou guias para o teletrabalho). Também já se encontra disponível uma aplicação.

 

Também os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde lançaram uma plataforma online dedicada inteiramente ao vírus SARS-CoV-2 e que também consta nesta lista da OCDE como um site que esclarece, por exemplo, formas de transmissão e compila os dados relativos à situação epidemiológica no país.

 

A OCDE destaca ainda projectos como o movimento português tech4Covid-19, que tem procurado encontrar soluções tecnológicas para ajudar o país na luta contra a COVID-19, e o programa da Fundação para a Ciência e a Tecnologia Research 4 COVID-19 que apoia projectos e iniciativas de investigação e desenvolvimento já em curso ou a desenvolver e que respondam às necessidades do SNS.

 

Para analisar estes projectos, mostrando o que está a ser feito pelas tecnológicas no âmbito da pandemia, a APDC vai realizar um ciclo de conversas digitais “COVID-19 Digital Reply”. Na primeira conversa digital, que acontece já amanhã, dia 29 de Abril, às 17h00, estarão em destaque projectos diferenciadores que nasceram no seio da comunidade Outsystems para responder a desafios na área da saúde.

 

Segundo a tabela elaborada pela OCDE a seguir a Portugal surge o Reino Unido, com 12 soluções identificadas, seguido da Irlanda, com 11. Na Europa, destacam-se ainda a França e a República Checa, ambos com oito projectos. Já em Espanha e Itália parecem ser reduzidos os projectos inovadores que querem fazer face à COVID-19, tendo sido identificados apenas dois em cada.

Partilhar