NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Governo angolano prevê que a economia do país saia este ano da recessão que enfrenta desde 2016, registando um ligeiro crescimento de 0,1%, ao passo que o Fundo Monetário Internacional antecipa uma recuperação de 0,4%.

A economia de Angola registou uma queda de 3,4% no primeiro trimestre deste ano face ao período homólogo de 2020, fortemente arrastada pela queda de mais de 30% do setor da construção, anunciou o INE.

 

De acordo com as Contas Nacionais Trimestrais, divulgadas esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística de Angola, o Produto Interno Bruto (PIB) caiu 3,4%, tendo registado uma melhoria de 0,2% face ao último trimestre do ano passado.

 

“O Produto Interno Bruto (PIB) em volume encadeado do primeiro trimestre de 2021 em comparação ao primeiro trimestre do ano anterior, ajustado sazonalmente, registou uma queda de 3,4% e, em comparação com o trimestre anterior (quarto trimestre de 2020) registou um crescimento de 0,2%”, lê-se no documento hoje colocado no site do INE angolano.

 

De acordo com o relatório, “o desempenho das atividades económicas no primeiro trimestre de 2021 em relação ao primeiro trimestre de 2020, em termos de variação negativa, é atribuído fundamentalmente às atividades de Construção (-31,5%), Extração e Refino de Petróleo (-18,6%); Transporte e Armazenagem (-15,6), Serviços de Intermediação Financeira (-9,9) e Correios e Telecomunicações (-5,8%)”.

 

O Governo de Angola prevê que a economia do país saia este ano da recessão que enfrenta desde 2016, registando um ligeiro crescimento de 0,1%, ao passo que o Fundo Monetário Internacional antecipa uma recuperação de 0,4%.

Partilhar