NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Em 2020, o peso da economia alemã no PIB da União Europeia atingiu os 25,1%, subindo face a 2019. A fatia de Portugal manteve-se igual nos 1,5%.

Em 2020, o produto interno bruto (PIB) da União Europeia encolheu para 13,4 biliões de euros por causa do impacto da crise pandémica. Num só ano, a economia sofreu uma queda de 5,9% devido à Covid-19, registando a primeira queda desde 2009 (-4,3%). Porém, o impacto não foi igual em todos os Estados-membros, o que ditou mexidas no peso de cada país face ao PIB europeu.

 

No caso da Alemanha, que tem a maior economia do bloco europeu, o peso do PIB aumentou de 24,8% em 2019 para 25,1% em 2020 uma vez que a economia alemã encolheu menos do que a média europeia. Segue-se França com 17,2% e Itália com 12,3%, compondo o pódio das três maiores economias da UE.

 

Esta ordenação dos países da UE por PIB corresponde (até aqui) também à ordenação dos países por população. Ou seja, os países com mais pessoas são os que também têm uma economia maior, como seria de esperar. Essa tendência confirma-se também no quarto lugar com Espanha (8,4%), mas deixa de se verificar no quinto lugar.

 

É nesse lugar que surge a Holanda, que tem 16 milhões de pessoas, com 6%, à frente da Polónia que, com 37 milhões de pessoas, corresponde a 3,9% do PIB europeu. Tal resulta do facto de o PIB per capita holandês ser bastante superior ao PIB per capita polaco.

 

Portugal também não figura bem nesta ótica: manteve o peso de 1,5%, mas surge em 14.º lugar ao passo que ordenado pela população seria o décimo maior país da UE. A dimensão da economia portuguesa é ultrapassada por países com menos população como a República Checa, Suécia, Dinamarca, Áustria, Irlanda, entre outros. Mas fica acima da Grécia (que tem mais população do que Portugal).

 

No final desta lista surgem Estados-membros cujo economia corresponde a menos de 1% do PIB europeu: é o caso de Malta cuja economia vale apenas 0,1%. Segue-se a Estónia, Chipre e Letónia com 0,2%, a Croácia, Lituânia e Eslovénia com 0,4%, a Bulgária e o Luxemburgo — apesar de ter o PIB per capita mais elevado da UE — com 0,5% e a Eslováquia com 0,7%.

Partilhar