NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

No âmbito da transformação digital e climática – directrizes tidas como basilares da nova abordagem ao universo dos negócios – Sines é a localização do país «com melhores condições para atrair investimento directo estrangeiro», disse o Secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, no decorrer de uma conferência nacional ocorrida, no passado dia 3, no Centro de Negócios da Zona Industrial e Logística de Sines (ZILS).

No âmbito da transformação digital e climática – directrizes tidas como basilares da nova abordagem ao universo dos negócios – Sines é a localização do país «com melhores condições para atrair investimento directo estrangeiro», disse o Secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, no decorrer de uma conferência nacional ocorrida, no passado dia 3, no Centro de Negócios da Zona Industrial e Logística de Sines (ZILS).

 

Para o governante, o Complexo Industrial e Portuário de Sines «é mais uma vez a jóia da coroa» e «o centro de desenvolvimento das políticas em torno da energia»: exemplo disso, frisou Eurico Brilhante Dias, é o cabo submarino da EllaLink, «que permite desenvolver novos modelos de negócio» como a Start Campus, responsável pelo desenvolvimento do mega-centro de dados Sines 4.0, explicou o governante.

 

Sines será «pólo dinamizador» da economia nacional

 

No decorrer da conferência, organizada pela aicep Global Parques, Eurico Brilhante Dias, deu ênfase à importância dos esforços levados a cabo pelos vários parceiros, como o Estado, aicep Global Parques e o Portugal Global, «no processo de transformação de Sines». Trata-se de um desafio «que fará de Sines o pólo dinamizador da economia nacional que tanto precisamos», declarou o Secretário de Estado da Internacionalização.

 

Na visão de Eurico Brilhante Dias, Portugal «pode olhar para a economia de dados e para uma economia descarbonizada, com recursos, com tecnologia que podem colocar a economia portuguesa, e este território em particular, na liderança dos próximos anos de processos industriais». Portugal pode ambicionar a captar «modelos de negócio competitivos à escala internacional» e «exportar mais e atrair mais investimento directo».

 

«Os projectos que vamos desenvolvendo têm vindo a atrair capital estrangeiro que intensivamente desenvolve modelos de negócio exportadores e Sines tem aqui um papel decisivo», rematou o Secretário de Estado da Internacionalização.

Partilhar