NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A produção de energia eólica "offshore" deverá crescer nesta década e o projeto BEHYOND acaba de comprovar que há potencial para dupla produção renovável no mesmo local, criando sinergias, diz a EDP.

Produzir hidrogénio verde em alto mar a partir de energia eólica offshore? Não só é possível, como a viabilidade económica de um projeto deste género “será alcançada com a maturidade da indústria e da cadeia de valor do hidrogénio verde”. Esta foi a conclusão da primeira fase do projeto BEHYOND, liderado pela EDP, em consórcio com TechnipFMC, CEiiA, WavEC e Universidade Norueguesa USN.

 

Ao fim de cerca de seis meses, o Projeto BEHYOND acaba assim de analisar a viabilidade técnico-económica para a produção de hidrogénio verde a partir de vento produzido em alto mar, onde os recursos eólicos são abundantes, refere a EDP em comunicado.

 

Nesta fase, que teve o apoio de fundos europeus pelo “caráter inovador” da investigação, foi desenvolvida uma análise de diferentes configurações para um módulo de produção de hidrogénio offshore, cuja eletrólise é feita com recurso a energia produzida por parques eólicos instalados em alto mar, explicam os responsáveis do projeto.

 

“A produção de energia eólica em alto mar deverá crescer significativamente ao longo desta década e o projeto BEHYOND comprova que há potencial para ter dupla produção renovável no mesmo local, criando sinergias nas infraestruturas, cabos de transporte de energia até terra e pontos de rede”, conclui a EDP.

 

E sublinha: “A configuração estudada no BEYHOND pode ser implementada em todo o mundo, produzindo e transferindo hidrogénio em larga escala. Este desenvolvimento tecnológico é pioneiro no surgimento da cadeia de valor do hidrogénio no contexto de uma economia azul e esta poderá ser uma solução para aumentar a competitividade dos parques eólicos offshore.

 

Esta primeira fase do projeto concluiu então que “a viabilidade económica será alcançada com a maturidade da indústria e da cadeia de valor do hidrogénio verde, e com investimento das empresas que se estão a posicionar no mercado do hidrogénio, complementado por fundos de apoio à inovação”.

 

Outra forma de incrementar essa viabilidade, diz a EDP, será com o incentivo para que a indústria acelere o processo de descarbonização, aumentando a procura por energias renováveis.

 

A EDP coordenou este projeto, através da EDP NEW R&D e da EDP Inovação, e foi responsável pela avaliação estratégica do mercado offshore eólico-hidrogénio, pela definição de casos de negócio e pela inovação tecnológica que será necessária para possibilitar a entrada destas soluções no mercado.

 

O projeto BEHYOND junta à EDP e à TechnipFMC, uma empresa líder no desenvolvimento de projetos e soluções de engenharia offshore, os centros de investigação CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento, o WavEC-Offshore Renewables e a University of South-Eastern Norway.

Partilhar