NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Depois de Lisboa, Porto, Praga, Madrid e Barcelona, a gestora de bagagens LUGGit fechou uma nova ronda de investimento, liderada pela GED Ventures Portugal e Caixa Capital, apontando agora para a chegada a Itália, Hungria e Grécia.

Poucos meses antes da chegada da pandemia de covid-19, Ricardo Figueiredo, Diogo Correia, Hugo Fonseca e João Pedrosa criaram uma plataforma que permite a quem viaja requisitar um condutor em tempo real para que a sua bagagem seja recolhida e entregue no sítio e hora escolhidos por si.

 

Chama-se LUGGit, arrancou em julho de 2019 em Lisboa, tendo chegado ao Porto três meses depois. Em 2022 partiu à conquista da Europa, oferecendo atualmente o seu serviço profissional de gestão de bagagens também em Praga, Madrid e Barcelona.

 

Entretanto, acaba de fechar uma nova ronda de investimento de 1,8 milhões de euros, uma operação lidera pela GED Ventures Portugal e Caixa Capital e que visa impulsionar o plano de expansão da empresa, que "tem como objetivo abrir mercados em sete cidades europeias novas localizadas em três países diferentes e aumentar a nossa equipa em oito novas contratações durante o próximo ano", revela Ricardo Figueiredo, CEO e cofundador da LUGGit, em comunicado.

Novos países sinalizados: Itália, Hungria e Grécia. 

 

"A LUGGit é uma das mais promissoras startups portuguesas de Logistics Tech, pelo que este investimento permitirá acelerar o desenvolvimento tecnológico, posicionado esta solução como uma das mais inovadoras do setor do turismo", considera Francisco Lino Marques, partner e membro do conselho de administração da GED Ventures Portugal.

 

Já Pedro Rangel, presidente da Caixa Capital, destaca que, "através deste investimento, a Caixa Capital reforça a sua estratégia no apoio a empreendedores nacionais, cujos projetos apresentam um foco no desenvolvimento de produtos e serviços inovadores, de elevado potencial e orientados para o mercado global", sendo que, "no caso específico da LUGGit, identificámos uma oportunidade diferenciadora de transformação e melhoria da experiência turística, associada ao transporte e armazenamento de bagagens com o recurso a uma app".

 

Mais de 10 mil clientes e 50 mil bagagens

 

Por sua vez, Pedro Mello Breyner, vogal executivo da Portugal Ventures, começou por lembrar que a Portugal Ventures investiu na LUGGit em 2019 pouco depois de iniciarem a sua atividade em Lisboa e Porto.

 

"Desde essa data, tem sido um orgulho acompanhar a equipa de promotores, sendo estes um exemplo de resiliência na superação dos diversos desafios que foram surgindo, nomeadamente dois anos de pandemia", realçou.

 

"Com presença em algumas das cidades mais turísticas da Europa, esta ronda de investimento é um passo importante para a equipa de promotores implementar o reforço da sua estratégia de internacionalização, que irá permitir o crescimento da empresa em recursos humanos qualificados e contribuindo para a melhoria da visibilidade de Portugal como um exemplo de boas práticas na dinamização do empreendedorismo", acredita Pedro Mello Breyner.

 

Com esta ronda de investimento, a LUGGit alcança os 2,2 milhões de euros de investimento total, tendo o suporte dos fundos de investimento GED Ventures Portugal, Caixa Capital e Portugal Ventures, fundo que liderou a sua primeira ronda de investimento em 2019 e permitiu expandir o negócio, com a empresa a garantir ter alcançado "mais de 10 mil clientes" e gerido "mais de 50 mil bagagens".

 

Funcionando como uma espécie de Uber, a interação com a aplicação móvel ou o website da LUGGit é simples, tendo apenas de indicar o sítio e hora de recolha e entrega e o número e tipo de malas.

 

Em Jornal de Negócios

Partilhar