NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Diretor da Google para Portugal, Bernardo Correia, considera que o país tem "um ambiente muito saudável do ponto de vista regulatório" e vê como positiva a iniciativa do Governo de criar corredores para a instalação de cabos pré-licenciados.

Praticamente um mês desde que anunciou a instalação de um novo sistema de cabos submarinos a amarrar em Portugal, o Nuvem, a Google não exclui a hipótese de mais investimentos do género.

"Olhamos para Portugal como um país muito atrativo para potenciais futuros investimentos", admitiu Bernardo Correia, diretor da Google para Portugal, em declarações ao Negócios, quando questionado sobre se há novos cabos submarinos previstos. 
 
O responsável pela tecnológica considera que o país tem "um ambiente muito saudável do ponto de vista regulatório" e vê como positiva a iniciativa do Governo de criar corredores para a instalação de cabos submarinos pré-licenciados, considerando que tudo o que Executivo possa fazer "para auxiliar empresas como a Google" e que "acelere a capacidade de investir no país, é sempre bem-vindo". 
 
A Google anunciou a 25 de setembro a instalação de um novo sistema de cabos submarinos transatlântico, que vai ligar Portugal, Bermudas e os Estados Unidos. Este novo sistema, o Nuvem, junta-se a um outro que a empresa tem em território nacional, o Equiano, que liga Portugal ao Togo, Nigéria, Namíbia, África do Sul e Santa Helena.

Bernardo Correia recusou divulgar os valores investidos pela Google no Nuvem, que deverá estar em funcionamento em 2026, dizendo apenas que "estamos a falar de investimentos muito avultados". "Mais do que o valor em si, realço esta posição de Portugal para ligar continentes. Se nós estamos a investir cá, há outros que estão também obviamente", concluiu.

O ministro das Infraestruturas, João Galamba, anunciou no final de setembro que o Governo está a preparar um despacho conjunto entre vários ministérios para a criação de corredores pré-licenciados. A criação destes corredores já tinha sido avançada pelo Negócios no final de abril.
 

"Estamos a promover a criação de um portal eletrónico e, além disso, estamos a promover corredores para cabos submarinos que serão pré-licenciados e serão zonas especiais para a proteção destes cabos", revelou José Sousa Barros, consultor sénior para a conetividade e cabos submarinos da Anacom, na altura.

 

Em Jornal de Negócios

Partilhar