NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O grupo de instituições descreve compromissos conjuntos para mobilizar e financiar projetos climáticos do setor privado, eliminando os combustíveis fósseis, alinhando-se com o Acordo de Paris e altos padrões de transparência.

A Associação Europeia de Instituições Financeiras de Desenvolvimento (EDFI) à qual pertence a SOFID, que em conjunto gere $50 biliões de investimentos em países emergentes e mercados fronteira, anunciou que até 2022, os seus 15 membros irão alinhar todas as suas novas decisões de financiamento com os objetivos do Acordo de Paris e garantir que as suas carteiras atingem a neutralidade carbónica até 2050. 

 

Os membros da EDFI comprometeram-se a cessar financiamentos a projetos ligados à exploração de carvão e combustíveis fósseis, limitando ainda outros financiamentos no setor energético, garantindo a sua consistência com os objetivos do Acordo de Paris até 2030. O novo compromisso inclui investimentos diretos, investimentos indiretos realizados através de fundos de investimento e empréstimos dedicados por via de instituições financeiras. 

 

Baseadas no seu sólido track-record de financiamento de projetos com impacto positivo na ação climática, estas instituições estão determinadas a mobilizar o setor privado para estes investimentos, mantendo metas individuais ambiciosas e relatando o seu progresso, dando cumprimento, desta forma, às suas missões de desenvolvimento. 

 

Na sua declaração de hoje, a EDFI disse: Será necessário um alinhamento significativo e progressivo dos fluxos de capital privado para os países em desenvolvimento para se alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas até 2030 e para implementar o Acordo de Paris. Nos últimos cinco anos, as DFIs europeias comprometeram €8 biliões para o financiamento do clima em países de baixo e médio rendimento. Agora, na preparação para a COP 26, e enquanto os países à volta do mundo se esforçam para alcançar uma recuperação sustentável da pandemia Covid-19, é mais importante do que nunca que as DFIs europeias deem um exemplo coletivo aos investidores nos mercados em desenvolvimento. 

 

Marta Mariz, CEO da SOFID, afirmou “Estamos muito satisfeitos por termos alcançado este compromisso comum a nível europeu. A SOFID está empenhada em promover o financiamento verde, a e acompanhar os objetivos de neutralidade carbónica, juntando o nosso esforço ao combate às alterações climáticas. Acreditamos ainda que este será o caminho para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável nos mercados onde atuamos.” 

 

 

Para ler toda a declaração da EDFI e as especificações técnicas, por favor veja aqui

Partilhar