NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Da confeção aos tecidos, vão estar presentes 31 empresas portuguesas na Munich Fabric Star. A indústria olha para esta feira como "uma grande oportunidade para o setor mostrar o seu valor".

O tecido industrial português vai estar em força na Munich Fabric Star, que decorre em Munique de 31 de agosto a 2 de setembro. Para o setor, a feira direcionada às confeções e tecidos “vai ser o motor de arranque da indústria”, tendo em conta que é a primeira feira presencial do cluster do têxtil e do vestuário.

 

No total são 31 empresas portuguesas de setor têxtil e vestuário que vão levar à cidade alemã as últimas novidades de um dos clusters mais antigos de Portugal. No evento são esperados cerca de 20 mil visitantes. “A moda não funciona virtualmente e o cliente quer ter contacto com o produto. O setor tem aqui uma grande oportunidade de mostrar o seu valor”, destaca o presidente da Associação Nacional das Industrias de Vestuário e Confeção (Anivec).

 

Neste evento que já vai na 45ª edição, a organização criou um espaço premium, com uma localização central e de grande visibilidade, reservado para 13 empresas portuguesas dedicadas à confeção. “Este novo espaço vem reforçar a presença portuguesa na Munich Fabric Start, que é a principal feira de confeção e tecidos do mercado alemão e uma das principais da Europa”, conta ao ECO, César Araújo, presidente da Anivec.

 

“As empresas portuguesas de confeção vão beneficiar desta centralidade e da visibilidade até porque é uma zona de passagem e vai estar identificada como Portugal Sourcing”, adianta Marlene Oliveira, head of international unit do Centro de Inteligência Têxtil (CENIT). As restantes empresas portuguesas da área dos tecidos vão estar espalhadas ao longo da feira de acordo com o tipo de produto que apresentam.

 

Comitiva lusa em Munique

 

César Araújo destaca que a Munich Fabric Star “vai ser o motor de arranque da indústria”. “Queremos estar presentes em força para mostrar o melhor que se faz em Portugal”. Para o presidente da Anivec, os clientes “estão ansiosos por esta feira presencial”. César Araújo salienta que “até aqui não houve uma grande interação entre a indústria e os clientes”, pelo que esta feira será muito importante para o setor.

 

A comitiva portuguesa é composta por 31 empresas. Do lado da confeção vão estar presente 13 empresas: Calvelex, Juvema, LaGofra, Marfel, Marjocri, Outfit21, SM Senra, Source Textile, Tetribérica, TMR Fashion Clothing, Top Trends, Tricothius (Valerius Group) e Vandoma.

 

Do lado dos tecidos vão marcar presença 18 empresas portuguesas: 6dias Têxteis Internacionais Bloomati by Carvema,Fitecom SA Hall 3 D 03, J. Areal – Artigos Texteis, Magma Têxtil, Modelmalhas, OTS Otojal Group, Paulo de Oliveira, RDD – Textiles, Riopele Texteis, Sanmartin – Sociedade Textil, Somelos Tecidos, Tessimax Lanificio, TMG Textiles, Trimalhas Knit Inspiration, Troficolor Denim Makers, Vilarinho e Vilartex.

 

Para além da indústria portuguesa de têxtil e vestuário, o secretário de Estado Adjunto e da Economia, João Neves vai marcar presença na Munich Fabric Star.

 

Alemanha é um destino top

 

O mercado alemão está no top 3 dos principais destinos de exportações portuguesas de vestuário. “O mercado alemão é muito atrativo e está no nosso top três. É um mercado que as empresas portuguesas não querem deixar de estar”, conta ao ECO Marlene Oliveira, responsável pela estratégia de internacionalização levada a cabo pelo CENIT.

 

De acordo com os dados preliminares do INE, nos primeiros seis meses do ano, Portugal já exportou perto de 142,3 milhões de euros de produtos de vestuário para a Alemanha, evidenciando um crescimento de 17,4% em relação ao período homólogo de 2020 e um aumento de 9,0% quando comparado com igual período de 2019.

 

O presidente da Anivec corrobora a ideia de Marlene Oliveira e lembra que “o mercado alemão é muito importante para Portugal e muito sofisticado. É muito importante Portugal estar representado nesta feira”, salienta César Araújo.

 

A Munich Fabric Star conta com duas edições por ano e mesmo em tempos de pandemia, a feira só viu uma edição ser cancelada, a de janeiro deste ano. A head of international unit do CENIT destaca que mesmo em cenário de pandemia “é uma feira com muito sucesso”.

 

A feira conta com cerca de mil expositores. Sebastian Klinder, diretor geral da Munich Fabric Start, conta que a organização “não podia estar mais feliz” porque vão voltar “finalmente a reunir a indústria têxtil em Munique”, conta através do site oficial da feira.

Partilhar