NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Chama-se Salicórnia em homenagem à planta que nasce na ria. Vai garantir a travessia entre São Jacinto e o forte da Barra, tem autonomia para 26 viagens por dia e pode transportar mais de 250 pessoas e 19 carros em cada uma delas.

Salicórnia é o primeiro ferryboat 100% elétrico construído em Portugal e assume-se como projeto pioneiro na Europa. É uma embarcação que vai integrar a operação AveiroBus e garantir a ligação entre São Jacinto, em Aveiro, e o forte da Barra, em Ílhavo, substituindo o atual navio responsável por esta travessia.

 

O projeto resulta de um investimento global de 7.326.490,13 euros e demorou dois anos a desenvolver pelas preocupações ao nível da sustentabilidade e inovação, desde o design às funcionalidades de navegação que lhe permitem ser um barco com zero emissões de CO2: comparado com a atual embarcação que vai substituir, movida a combustível fóssil, permitirá uma redução de emissões superior a 300 toneladas e reduz em 30% o consumo energético.

 

O novo ferry reforça ainda a capacidade de transporte de passageiros em mais 30% e de viaturas em 90%.

 

Tem a ambição de aumentar o conforto para os passageiros, graças aos baixos níveis de ruído, e uma vista panorâmica 360º no piso superior, o que irá permitir aos utilizadores usufruírem de imagens únicas da Ria de Aveiro e de São Jacinto.

 

Será alimentado a baterias de lítio substituíveis com uma longevidade de dez anos e prevê-se que uma durabilidade de 30 anos.

 

À exceção dos barcos elétricos já utilizados nos países nórdicos, o "Salicórnia" assume-se não só como o primeiro ferryboat elétrico desenvolvido inteiramente em Portugal, pela Navaltagus, do grupo ETE, mas como um dos primeiros a ser construídos em toda a Europa.

 

Quando chegar a Aveiro, ficará em testes de navegação e de carregamento até ao momento da primeira operação, prevista acontecer até final do ano, se o tempo ajudar.

 

Em TSF

Partilhar