NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O Instituto Nacional de Estatística (INE) revelou, esta quinta-feira, dados sobre a evolução da balança comercial em julho deste ano, indicando aumentos em termos nominais quer nas exportações, quer nas importações.

Em julho de 2021, "as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de +11,7% e +21,4%, respetivamente, (+21,7% e +29,6%, pela mesma ordem, em junho de 2021)". Em relação a julho de 2019, "verificaram-se variações de +4,1% e -2,0%, pela mesma ordem", lê-se na nota publicada, esta quinta-feira, pelo INE.

 

Excluindo combustíveis e lubrificantes, "as exportações e as importações aumentaram 8,6% e 15,2%, respetivamente (+17,9% e +24,6%, pela mesma ordem, em junho de 2021)".

 

Em comparação com julho de 2019, "registou-se um acréscimo de 4,8% nas exportações e um decréscimo de 2,2% nas importações".

 

Quanto ao défice da balança comercial de bens "aumentou 662 milhões de euros face ao mês homólogo de 2020 (diminuiu 371 milhões de euros em relação a julho de 2019), atingindo 1 493 milhões de euros em julho de 2021. Excluindo Combustíveis e lubrificantes, o défice atingiu 943 milhões de euros", destaca o INE.

 

Ainda no trimestre terminado no passado mês de julho, "as exportações de bens aumentaram 26,6% e as importações cresceram 33,5% em relação ao mesmo período de 2020 (+49,1% e +48,2%, pela mesma ordem, no 2º trimestre de 2021). Comparando com o trimestre terminado em julho de 2019, as exportações aumentaram 2,2% e as importações diminuíram 2,8%".

 

Na nota hoje publicada, o INE revela ainda os resultados definitivos de 2020, vincando que "apresentam revisões ligeiras face aos resultados preliminares divulgados em junho". Há assim a reportar, "taxas de variação anuais de -10,3% nas exportações e de -14,8% nas importações face a 2019, correspondendo a revisões de -0,1 p.p. e de +0,3 p.p., respetivamente, face aos resultados preliminares".

Partilhar