NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Portugal e Espanha fazem parte do leque de países que já possuem vistos especiais para trabalhadores remotos com a sua iniciativa de Vistos Nómadas Digitais. Entre as várias cidades da Península Ibérica, a capital portuguesa foi selecionada como a melhor opção para estes trabalhadores.

De acordo com o Índice Workation da Holidu, que classifica as cidades de acordo com vários fatores importantes para os nómadas digitais, Lisboa não é apenas a melhor cidade para nómadas digitais na Península Ibérica, mas ocupa também o primeiro lugar na classificação europeia

 

“Casa do delicioso pastel de nata, excelente vinho, e zumbido de energia enquanto os sons do fado enchem as ruas. A cidade também oferece aos trabalhadores remotos um fácil acesso a uma série de praias, perfeitas para um mergulho de manhã cedo ou ao fim da tarde, com táxis que custam apenas o equivalente a 0,37 euros por km”, explica a Holidu.

 

Em segundo lugar neste ranking encontra-se a capital da Catalunha, Barcelona, que ocupa também o segundo lugar tanto ibérico como europeu. A arquitetura única da cidade, de pintores como Gaudi, o segundo maior número de espaços de co-trabalho na Europa depois de Londres, com 136 espaços de co-trabalho dedicados, ou a velocidade da Internet foram alguns dos fatores que levaram Barcelona a receber a prata nesta classificação.

 

A terminar o pódio ibérico do encontra-se a capital espanhola, Madid. “Com uma reputação de atrair expatriados de todo o mundo, não é surpreendente que Madrid seja um paraíso digital nómada. Madrid é um deleite para qualquer pessoa que ame a cultura, com muitos museus de classe mundial, como o Prado, entre as quase 2000 “coisas” mais importantes a fazer.

 

A cidade do Porto é a quarta melhor cidade da Península Ibérica para nómadas digitais “devido às muitas “coisas” para fazer e ver”, seguida de Valência, Málaga, Sevilha e Faro.

Partilhar