NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A subsidiária portuguesa passa a ter "total controlo sobre o mercado português e os PALOP [Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa]", afirmou Pedro Mesquita, diretor geral da Fujifilm Portugal e Espanha.

AFujifilm Portugal é a primeira entidade subsidiária do grupo a integrar a Fujifilm Healthcare Europa, marca que resulta da aquisição da empresa japonesa Hitachi Diagnostic Imaging, estando previsto um "aumento entre 5 e 10%" da equipa.

 

"Hoje é o dia em que reforçamos o nosso compromisso de contribuir para uma melhor saúde e Portugal, dentro do grupo Fujifilm, não é uma exceção", afirmou Pedro Mesquita, diretor geral da Fujifilm Portugal e Espanha, durante a apresentação da Fujifilm Healthcare.

 

Na sessão, que decorreu no edifício sede da Fujifilm Portugal, Pedro Mesquita salientou que, resultado da integração na nova marca, a subsidiária portuguesa passa a ter "total controlo sobre o mercado português e os PALOP [Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa]".

 

"Resultado da aquisição da Hitachi Diagnostic Imaging, a Fujifilm Portugal foi contemplada a integrar o negócio na totalidade, assumindo o controlo das operações e soluções da Fujifilm Healthcare", reforçou.

 

A multinacional japonesa Fujifilm lançou, em julho, a Fujifilm Healthcare Europa, uma nova marca que resulta da aquisição e incorporação da empresa japonesa Hitachi Diagnostic Imaging, em março de 2021.

 

À margem da sessão, Pedro Mesquita revelou à Lusa que a integração da subsidiária portuguesa na nova marca do grupo vai "resultar em expansão", nomeadamente, de recursos humanos e que esse é "o caminho", estando em causa a contratação de cinco a 10 pessoas.

 

"Em termos de recursos humanos, na área 'medical' teremos de aumentar seguramente entre 5 e 10% das nossas equipas. Somos 105 pessoas em Portugal e 60% dedicada à parte de 'healthcare', portanto, teremos um aumento de 5 a 10% nas equipas", referiu.

 

A integração na Fujifilm Healthcare Europa permitirá também "reforçar a presença nos PALOP", acrescentou.

 

"Entendemos que com esta nova integração, os PALOP sejam um os mercados que queremos explorar dentro deste novo conceito de negócio", acrescentou Pedro Mesquita.

 

Esta nova marca da multinacional japonesa visa "liderar a prevenção e o diagnóstico na Europa", através de uma gama de produtos e serviços de diagnóstico, tais como sistemas de TAC, ressonância magnética, raios-x, inteligência artificial, diagnóstico 'in vitro', endoscopia e ecografia.

 

"O nosso principal objetivo é contribuir para uma sociedade mais saudável. Hoje, a área de 'healthcare' representa cerca de 44%. Está a posicionar-se como principal pilar do grupo, sendo que a área tradicional do negócio da Fujifilm [fotografia] representa hoje 14%", revelou o diretor geral da Fujifilm Portugal e Espanha.

 

Com a nova marca, a Fujifilm pretende atingir "um volume de negócios de 6,6 mil milhões de euros nos próximos três anos", o que representa um crescimento superior a 50% comparativamente a março de 2020.

 

"A Fujifilm tem um plano super ambicioso", salientou Pedro Mesquita, acrescentando que a pandemia da covid-19 reforçou a estratégia que a multinacional japonesa tem para a área da saúde.

 

"Não nos propomos a substituir os médicos, mas a ajudá-los", afirmou.

 

Além dos produtos de prevenção e diagnóstico médico, a nova marca da Fujifilm terá também uma componente científica e clínica nestas áreas, estando prevista a celebração de protocolos com instituições de ensino, investigação e saúde.

Partilhar