NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A nova edição conta com a participação de cinco instituições financeiras: Abanca, Caixa Geral de Depósitos, Credibom, Ok Seguros e Zurich.

A Fintech Solutions, negócio de consultoria da associação Portugal Fintech, aproveitou a Web Summit para anunciar esta terça-feira a terceira edição do programa “Fintech Innovation Lab”, o laboratório de inovação onde startups respondem aos desafios de instituições financeiras mais tradicionais com presença em Portugal.

 

O Fintech Innovation Lab 2023-2024 conta com a participação do Abanca, da Caixa Geral de Depósitos (CGD), da Credibom, da Ok Seguros e da Zurich. Entre os meses de março a maio, as fintechs terão canais diretos de interação com estas empresas – que se encontram a definir os desafios que querem propor ao ecossistema – e parceiros especializados no sector.

 

“A inovação no sector financeiro enfrenta desafios específicos da indústria e o Fintech Innovation Lab pretende reduzir esses constrangimentos. O modelo tem vindo a ser melhorado a cada ano e já tem por base a experiência de mais de doze instituições financeiras”, diz o diretor da Fintech Solutions, António Ferrão.

 

A ideia mantém-se a mesma: criar um espaço de cocriação de produtos financeiros inovadores. “A entrada no Fintech Innovation Lab permite reforçar o nosso ecossistema do Abanca Inova e estar dedicados ao ecossistema fintech nacional”, sintetizou o diretor de Inovação do Abanca, Eduardo Aldao. “Acreditamos que será um excelente catalisador para iniciativas disruptivas que queremos levar ao mercado”, completa o CEO da Ok Seguros, Gonçalo Graça Santos.

 

Para o diretor de Banca Digital da CGD, Tomás Velez Grilo, esta parceria com a Portugal Fintech (ou a Fintech Solutions) “permite reforçar o posicionamento da marca Caixa nas áreas da inovação e scouting e avaliar soluções disruptivas no mercado que tragam maior valor acrescentado para a sociedade portuguesa no geral e para os seus clientes em particular”.

 

“A mudança é constante no contexto competitivo em que hoje operamos e antecipar alterações incrementais ou mais transformacionais têm-se revelado decisivas para assegurar o crescimento sustentado da nossa atividade”, comentou o deputy CEO da Credibom, Pedro Mata. Ao que Joana Martinho, responsável de Estratégia e Desenvolvimento de Negócio da Zurich, acrescenta: “Pretendemos acelerar um ecossistema de inovação que fortaleça a nossa oferta de seguros e serviços e enriqueça a experiência dos nossos clientes”.

 

No entanto, as candidaturas só abrem em janeiro e destinam-se a fintechs que tenha desenvolvido um produto tecnológicao ligado ao sector financeiro. As startups que forem escolhidas para o Fintech Innovation Lab, por conseguirem resolver os desafios dos bancos, têm várias fases de trabalho: interação para exploração de oportunidades de colaboração, alocação das startups à instituição financeira com que vão trabalhar e definição dos requisitos técnicos e legais de testagem de uma possível solução conjunta.

 

Durante o programa, realizar-se-ão ainda sessões entre as fintechs e as empresas sobre diversos temas relevantes da indústria financeira, incluindo Inteligência Artificial generativa, open banking, serviços financeiros incorporados em jornadas não financeiras, entre outros.

 

Em O Jornal Económico

Partilhar