NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) lança hoje a primeira campanha digital das fileiras casa e materiais de construção, dirigida a seis mercados, que visa "vender mais" os produtos portugueses.

“Éuma campanha da fileira casa e materiais de construção, específica, toda digital tendo em conta o enquadramento que se vive” e em que apresenta uma exposição (‘showroom’ virtual 360º, e o “objetivo final é vender mais”, afirmou o presidente da AICEP, Luís Castro Henriques, em declarações à Lusa.
 

“Estas fileiras já representam 10% das exportações” portuguesas, ou seja, “mais de seis mil milhões das nossas exportações”, salientou o responsável, apontando um potencial de crescimento que a AICEP pretende alavancar.

“Achámos que fazia sentido não só trabalhá-las de forma digital, mas também nesta lógica de ‘cross selling’ [vendas cruzadas]”, acrescentou o presidente da AICEP.

 

A campanha internacional que hoje arranca, sob o mote “Made in Portugal naturally”, decorrerá durante todo o ano e destina-se a seis mercados: quatro europeus e dois no continente americano: “Espanha, França, Alemanha, Reino Unido, Estados Unidos e Canadá”.

 

“Há um enfoque claro de comercialização em determinados canais” e esses são determinados pelos “mercados onde já é muito representativa” a presença portuguesa, mas “também em mercados onde achamos que há ainda muito espaço para crescer”, salientou.

 

“Toda a informação, a escolha de produtos, o formato, a comunicação da campanha estão orientados a estes mercados”, apontou Luís Castro Henriques.

 

A fileira casa – que integra desde o mobiliário, iluminação, têxteis-lar até às utilidades domésticas – conta com mais de 7.600 empresas e emprega cerca de 61 mil pessoas. Desta fileira, os setores mais representativos são o mobiliário e o têxtil-lar, com França e Espanha, entre outros, como principais mercados de exportação.

 

O valor das exportações ronda os 2,5 mil milhões de euros, o que corresponde a 4,1% das exportações nacionais de bens.

Os principais mercados dos materiais de construção são Espanha, França, Alemanha, Reino Unido ou Estados Unidos, por exemplo, com o valor das exportações a rondar os 3,7 mil milhões de euros, com um peso de 6,1% no total das vendas ao exterior.

 

Esta campanha permite “trabalhar conceitos fundamentais como a inovação, aliar a tradição e a inovação, a qualidade, o design dos produtos e tem um foco muito específico da casa como um todo”, disse.

 

Luís Castro Henriques salienta que a campanha visa “aumentar a notoriedade da qualidade do produto português – a ligação entre tradição, inovação e autenticidade e sustentabilidade dos produtos”, servindo como “um excelente mecanismo” para as empresas portuguesas se manterem em contacto com os compradores profissionais e “dar uma noção mais abrangente de produtos” em outros segmentos, como também está direcionada a que “novos clientes” possam ter o primeiro contacto com a oferta nacional desta fileira.

 

“A nossa expectativa aqui é que haja não só uma adesão relevante de novos clientes, mas também uma interação forte com aqueles que já são nossos clientes e que poderão ganhar em conhecer outras áreas destas fileiras”, sublinhou o presidente da AICEP.

 

Na exposição virtual “estão apresentadas peças de mais de 60 empresas”, disse, esperando que esta campanha digital permita “a interação com centenas de empresas”.

 

O responsável admitiu que o conceito desta campanha poderá ser replicável a outras fileiras.

Partilhar