NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

As CleanTech são tecnologias “limpas” que vão desde as energias renováveis, mobilidade ecológica (ou "verde") a biomateriais e que usam matérias-primas e energia de forma racional, reduzindo o impacto ambiental e o risco de toxicidade ao longo do seu ciclo de vida.

As CleanTech podem ter impactos positivos na Economia Circular, devolvendo os recursos renováveis ​​ao seu ambiente natural (ciclo biológico) ou mantendo os materiais na economia de uma forma duradoura (ciclo tecnológico).

 

A Bélgica está entre os 10 maiores contribuintes do UN Environment Programme (UNEP), a principal agência ambiental global. Em 2020, a ONU publicou um artigo sobre como a Bélgica está comprometida com o conceito de Economia Circular. De acordo com este artigo, a Bélgica está fortemente empenhada na implementação de uma estratégia societal cada vez mais sustentável, com o Governo Federal e as três Regiões Autónomas - Bruxelas-Capital, Valónia e Flandres – muito alinhados neste esforço. O mesmo poderá ser dito relativamente ao setor das CleanTech na Bélgica.

 

De acordo com o relatório ”Cleantech Flanders” de 2020 e 2021, existem na Região da Flandres mais de 1000 players do setor das CleanTech. Este setor tem um valor de quase 4 mil milhões de euros e emprega cerca de 25 000 de trabalhadores a tempo inteiro. O número de empresas de CleanTech cresce, em média, 18 empresas por ano, verificando-se uma sustentação dos atores no setor das energias e um ressurgimento no setor dos resíduos e reciclagem.

 

O Governo Regional de Flandres oferece incentivos específicos relevantes para setores da investigação & desenvolvimento (I&D), entre os quais se incluem os projetos nas áreas das CleanTech. O ator principal de CleanTech na Flandres é a “CleanTech Flanders, cuja missão é promover a implementação de tecnologias limpas, de forma a acelerar a transição para uma sociedade mais sustentável. A “CleanTech Flander”s atua em diversos setores e áreas da CleanTech, nomeadamente na energia, materiais, mobilidade e água. A “CleanTech Flanders” é apoiada pela VITO - Research Center on Sustainability - em colaboração com empresas, centros de investigação, instituições governamentais e sociedade civil.

 

No que respeita à Economia Circular, o Governo Regional de Flandres definiu o setor como uma das sete prioridades de transição no Policy Paper "Vision 2050, a long-term strategy for Flanders". A OVAM - Public Waste Agency of Flanders é a entidade pública responsável pela gestão do hub flamengo – “Circular Flanders”. Foi ainda estabelecido o “Circular Economy Policy Research Center (CE Center), o centro de investigação e especialização em Economia Circular, pela VITO, KU Leuven, Universidade de Gante e Universidade de Antuérpia.

 

Na Região da Valónia, as empresas de CleanTech estão representadas pelo “TWEED Cluster (Cluster Technology of Wallonia Energy, Environment and Sustainable Development), cuja missão é angariar investimento para a produção e exploração de projetos de energia sustentável, através da mobilização das empresas deste setor. O “Cluster GreenWin apoia a inovação e promove I&D, de forma a estimular o crescimento empresarial e a criação de empregos em mercados em crescimento. Este cluster foca-se na promoção de tecnologias “verdes” eficientes para o mercado. O “Cluster GreenWin” representa empresas que, na totalidade, contribuem para 36% das exportações da Valónia, com 56 projetos certificados e 245 000 trabalhos (diretos e indiretos).

 

A Valónia possui ainda incentivos de investimento para empresas relacionadas com as tecnologias ambientais e para empresas empenhadas no processo de transformação para uma Economia Circular.

 

Na Região de Bruxelas-Capital, as empresas locais são estimuladas a apresentar projetos na área da Economia Circular no âmbito da iniciativa “Be Circular, Be Brussels” e a estabelecer uma estratégia para a transição de uma Economia Linear para uma Economia Circular, até 2025. A hub.brussels fornece ferramentas e suporte gratuitos para empresas que desejam incluir, ou que incluíram, o processo de Economia Circular nos seus modelos de negócios, tais como o “Greenlab.brussels, um acelerador de start-ups sustentáveis e o “Circlemade.brussels, o cluster de Economia Circular na região de Bruxelas-Capital.

 

No que respeita aos principais eventos de Economia Circular e CleanTech na Bélgica, destaca-se a Clean Vision Summit, evento líder na Bélgica. O CleanTech Challenge Belgium é um evento dedicado a estudantes universitários com o objetivo de criarem planos de negócio relacionados com tecnologias limpas. 

 

Em síntese, estes dois setores - Economia Circular e CleanTech - apresentam neste mercado uma aderência, dinamismo e prioridade crescentes, para o qual as empresas portuguesas devem estar atentas. Os projetos nestas áreas permitem interligar diferentes stakeholders, como entidades públicas, grandes empresas, multipliers, PME e empreendedores, gerando potenciais oportunidades de negócio e cooperação para os players portugueses.

 

Mais informações sobre este assunto podem ser obtidas junto da Delegação da AICEP em Bruxelas.

Partilhar