NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Inovação, resiliência e competitividade. Eis as novas palavras-chave do universo das pequenas e médias empresas nacionais (PME), que no último ano têm enfrentado, em muitos casos, o mais duro dos desafios: a sobrevivência. Mas, apesar do cenário de crise devido à pandemia, ainda sem fim à vista, as PME portuguesas têm sido exemplo de grande perseverança.

Ao longo do último ano a economia mundial sofreu uma reviravolta inesperada devido à pandemia que a Covid-19 trouxe ao mundo, e a que o mercado nacional, como seria se esperar, também não escapou. Negócios temporariamente encerrados, redução do consumo, restrições à circulação, inclusive com encerramento de fronteiras, com as inevitáveis quebras nas exportações (de acordo com o Instituto Nacional de Estatística, em 2020 as exportações de bens em Portugal desceram perto de 10,2%), são realidades que abalaram a competitividade das empresas nacionais, mas que estas se esforçam por ultrapassar reinventando-se e recorrendo à inovação nos produtos e serviços que colocam no mercado. Um trabalho de peso e fundamental para a dinamização económica, ou não representassem as PME cerca de 99% do tecido empresarial nacional e 56% do volume de negócios total das empresas que operam no nosso país. Sem esquecer que, segundo os números mais recentes da Pordata, são responsáveis por empregar 78% das pessoas no ativo.

 

Mais aqui

Partilhar