NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

As empresas que estão entre as 10% que mais crescem investem 2,6 vezes mais em ativos intangíveis do que as 50% com menor crescimento. No que respeita aos setores, os que investiram mais de 12% do seu valor acrescentado bruto (VAB) em ativos intangíveis alcançaram um crescimento 28% superior ao de outros setores.

Estas são as conclusões do estudo “Intangíveis: O futuro do crescimento e da produtividade?”, desenvolvido pelo McKinsey Global Institute (MGI).

 

De acordo com o estudo, o investimento em ativos intangíveis como a propriedade intelectual, pesquisa, tecnologia e software e capital humano, aumentou exponencialmente ao longo do último quarto de século, e a pandemia de Covid-19 parece ter acelerado esta transição para uma economia desmaterializada.

 

“No século XIX, as ferramentas de crescimento eram máquinas industriais; as ferramentas da futura economia do conhecimento serão os ativos intangíveis. Podemos estar a assistir a uma nova etapa na história do capitalismo baseada na aprendizagem, no conhecimento e no capital intelectual”, refere Duarte Braga, Managing Director da McKinsey Iberia.

 

“À medida que as economias recuperam da pandemia, pode uma onda de investimentos em intangíveis dar uma nova vida à produtividade e ao crescimento? É bem possível, mas a chave não será apenas o investimento em intangíveis, mas a garantia de que estes são implantados de forma eficaz”, concluiu o responsável.

 

O estudo baseou-se em inquéritos levados a cabo junto de mais de 860 executivos nos Estados Unidos e em 10 países europeus, juntamente com dados setoriais da base de dados da INTAN-Invest.

 

Nele foi explorada a correlação entre o investimento em intangíveis e o desempenho de setores, economias e empresas, para descobrir a fórmula para a implantação eficaz de ativos intangíveis com o objetivo de impulsionar o crescimento.

 

Concluiu-se ainda com este estudo que, mesmo com perturbações na economia, os investimentos em intangíveis têm aumentado, sendo que nos últimos 25 anos se alcançou um crescimento de 63% no VAB e o investimento em intangíveis aumentou 29%, ou mais de 1,6 mil milhões de euros.

 

A análise revela ainda que investimento em intangíveis está a aumentar em todos os setores, mas os setores que investiram a maior parte do seu VAB em ativos intangíveis cresceram mais rapidamente.

 

Os atuais top growers não só investem mais em intangíveis, mas também assumem riscos para os implementar e desenvolvem capacidades necessárias para acelerar o impacto. Não basta investir no acesso aos dados, é preciso haver uma estratégia de dados com processos rigorosos, tomada de decisão em tempo real, arquiteturas flexíveis e uso de investimentos em intangíveis para incorporar dados, talento e inovação nas operações do dia a dia.

Partilhar