NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A criação de novos negócios é fundamental para a saúde financeira das empresas, e esse é o principal motivo para 50% das receitas globais até 2026 resultem em novos modelos de negócio, serviços ou produtos que ainda não existem no mercado.

Estas são as conclusões do relatório “The state of new-business building” elaborado pela Leap by McKinsey, um estudo elaborado junto de mais de 1100 inquiridos com cargos executivos em grandes organizações.

 

De acordo com o mesmo, a criação de novos negócios surge como uma prioridade para 21% dos executivos, o dobro do valor registado no ano passado, enquanto que para 55% é um dos “imperativos de crescimento”.

 

“O lançamento de iniciativas inovadoras dentro das empresas responde a uma estratégia de crescimento e de aumento da rentabilidade. Segundo a nossa análise, sete em cada dez empresas que optaram pela construção de novos negócios como estratégia principal registaram taxas de crescimento superiores à média de outras empresas dos seus setores”, salienta Santiago Fernández, sócio da McKinsey & Company em Espanha.

 

Os motivos para a criação de novos negócios vão desde o aumento do crescimento orgânico ou ainda possibilidade de ajudar a mitigar os efeitos das ruturas e de adaptação às novas necessidades dos clientes e do mercado.

 

No entanto, “oito em cada dez empresários (cerca de 80%) responderam que dão prioridade à construção de novos negócios como meio de proteção contra a disrupção da sua indústria e de desenvolvimento de novas fontes de receita”, pode ler-se no comunicado.

Partilhar