NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Turistas do Canadá e dos Estados Unidos são os que mais contribuem para este aumento.

São os não residentes em Portugal que mais contribuem para o crescimento das dormidas em território nacional.

 

Diz o Instituto Nacional de Estatística (INE) nas suas estatísticas rápidas para a atividade turística que, em setembro dos 3,2 milhões de hóspedes e 8,2 milhões de dormidas em setembro registados pelo setor do alojamento turístico, 5,9 milhões não vivem em Portugal.

 

O que fez com que o setor turístico tivesse um aumento total de 6,7% em número de dormidas e de 9% no que diz respeito aos hóspedes, relativamente a agosto.

 

Assim, e enquanto as dormidas dos não residentes aumentaram 11,3%, as dos que cá vivem diminuíram 3,3%, para 2,3 milhões.

 

São os mercados do Canadá e dos Estados Unidos os que mais contribuíram, no mês passado, para este aumento, assim como o austríaco (+33,7%, e +23,7% e 21,5% respetivamente).

 

Diz o INE que "todas as regiões registaram acréscimos de dormidas, mais expressivos no Norte (+13,5%), no Centro (+12,3%) e na RA Açores (+9,8%)".

 

O instituto revela ainda que a ocupação nos estabelecimentos turísticos aumentou 1 ponto percentual em setembro, o que equivale a 57,3% de taxa líquida de ocupação-cama e +1,3 p.p. para 69,2% de taxa líquida de ocupação-quarto. Ainda no mês passado 14% destes espaços estiveram fechados (não registaram movimento de hóspedes) sendo que em agosto esta percentagem foi de 10,4%.

 

O INE detalha ainda que no terceiro trimestre de 2023 "as dormidas aumentaram 3,2% (+8,9% no 2ºT), em resultado do crescimento nas dormidas de não residentes (+7,2%; +12,9% no 2ºT), tendo o mercado doméstico registado um decréscimo de 4,4% (-0,3% no 2ºT)".

 

Em Dinheiro Vivo

Partilhar