NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho passou de uma variação homóloga de 7,4% em junho para 2,6% em julho, revelam os dados, publicados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo o Instituto, “estes resultados continuam a ser influenciados por um efeito base, dado que a comparação incide em meses afetados pela pandemia”, tendo-se verificado diminuições homólogas de 4,5% e de 1,5% em junho e julho de 2020, respetivamente.

 

Os índices de emprego, remunerações e horas trabalhadas apresentaram taxas de variação homóloga de 1,0%, 4,0% e 3,3%, respetivamente (variações de 1,3%, 8,0% e 10,7% em junho, pela mesma ordem).

 

O índice de volume de negócios no comércio a retalho apresentou uma variação homóloga de 2,6% em julho, taxa inferior em 4,8 p.p. à observada no mês anterior.

 

Para o INE, “estes resultados continuam a ser influenciados por um efeito base, dado que a comparação incide em meses afetados pela pandemia, tendo-se verificado diminuições homólogas de 4,5% e de 1,5% em junho e julho de 2020, respetivamente. Note-se que em julho de 2021 o índice situou-se 1,1% acima de julho de 2019”.

 

A evolução do índice agregado teve subjacente o crescimento homólogo de 2,8% (5,0% em junho) dos ‘Produtos Alimentares’ e um aumento de 2,4% (9,2% no mês anterior), nos ‘Produtos Não Alimentares’.

Partilhar