NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Desaceleração na China e comércio de bens mais fraco prejudicaram o crescimento económico no grupo de 19 países mais industrializados do mundo mais União Europeia. Itália e Arábia Saudita foram os únicos países a registaram uma contração em cadeia. Já a Turquia tem maior crescimento do G20.

O crescimento económico do grupo de 19 países mais industrializados do mundo e União Europeia (G20) abrandou para 0,7% em cadeia no segundo trimestre deste ano, de acordo com as estimativas provisórias da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) divulgadas esta quinta-feira. O valor compara com 1% registado no trimestre anterior.

A explicar este abrandamento no produto interno bruto (PIB) trimestral do G20 está sobretudo a desaceleração económica registada na China entre abril e junho. A OCDE dá conta que, naquela que é a segunda maior economia do mundo, a taxa de crescimento do PIB reduziu-se de 2,2% para 0,8%, penalizando a expansão económica conjunta do G20.
 

A juntar ao menor dinamismo da atividade económica chinesa, a OCDE assinala que houve também uma queda significativa no comércio de mercadorias do G20 no segundo trimestre, que "também contribuiu para o abrandamento económico do G20".

No caso da União Europeia, o crescimento do PIB foi nulo no segundo trimestre, o que significa que a atividade económica europeia estagnou, após ter crescido 0,6% nos primeiros três meses do ano. Também a economia canadiana estagnou entre abril e junho, depois de nos primeiros três meses do ano ter crescido (ainda que ligeiramente) 0,2%. 

No Brasil, a atividade económica também desacelerou para 0,9% no segundo trimestre, o que compara com 1,8% registados no primeiro trimestre. A Índia acompanhou também o abrandamento geral do G20, com a economia a travar de 2,1% no primeiro trimestre para 1,9% entre os meses de abril e junho.

PIB contrai em Itália e Arábia Saudita. Turquia tem maior crescimento


Por outro lado, tanto Itália como a Arábia Saudia registaram uma contração do PIB em cadeia. Em Itália, o PIB caiu de um crescimento de 0,6% no primeiro trimestre para -0,4% no último trimestre. Já a Arábia Saudita entrou em recessão, ao registar o segundo trimestre consecutivo com uma queda no PIB: passou de -1,4% para -0,1% entre abril e junho.

Embora a economia do grupo de países do G20 esteja a crescer a um ritmo mais lento, a Turquia registou, em contraciclo, uma aceleração no crescimento económico. No segundo trimestre, o PIB turco passou de uma contração de 0,1% no primeiro trimestre para um crescimento de 3,5%. Esse crescimento reflete sobretudo "uma aceleração do consumo privado", indica a OCDE. 

O PIB também aumentou (ainda que em menor escala) em países como França, Japão, Coreia do Sul, África do Sul e Reino Unido. Na Alemanha, a maior economia europeia, o PIB estagnou, o que permitiu ao país escapar à recesão técnica em que tinha mergulhado no trimestre anterior. 

Por outro lado, o crescimento do PIB manteve-se inalterado nos Estados Unidos (em 0,5%), Indonésia e México (ambos com uma taxa de crescimento de 0,8%) e na Austrália (0,4%).

 

Em Jornal de Negócios

Partilhar