NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Não é inédito, mas é um fenómeno que não acontece todos os dias: esta madrugada, durante aproximadamente uma hora, a produção eólica em Portugal ultrapassou o consumo de eletricidade na nossa rede elétrica.

Portugal voltou a ter na última madrugada, por um curto período de tempo, a totalidade do seu consumo de eletricidade abastecida por energia eólica, de acordo com os dados da REN - Redes Energéticas Nacionais. Aconteceu entre a 1h45 e as 2h45 desta segunda-feira.

 

À 1h45 os parques eólicos atingiram uma potência em operação de 4.323 megawatts (MW), num momento em que o consumo na rede (sem contar com as bombagens das barragens) estava nos 4.173 MW. As eólicas continuaram excedentárias durante cerca de uma hora. Às 2h45 o vento alimentava uma potência de 4.063 MW, contra 3.794 MW de consumo.

 

Às 3h da manhã o consumo (3.985 MW) voltou a superar a produção eólica (3.952 MW), indicam os dados reportados pela REN.

 

Houve ainda alguns minutos, por volta das 4h15, em que a produção eólica voltou a ser marginalmente superior ao consumo de eletricidade do país, mas a partir das 4h30 o consumo da rede elétrica começou a subir e a produção eólica a baixar.

 

A produção eólica desta madrugada, contudo, não alcançou o máximo histórico de 20 de fevereiro deste ano, quando um máximo de potência eólica em operação foi alcançado, com 4.675 MW a produzir em simultâneo.

 

Esse pico da produção eólica nacional (às 11h da manhã de 20 de fevereiro) não cobriu, no entanto, o consumo elétrico registado nesse momento no país.

 

A eólica não foi a única fonte a produzir durante a madrugada, havendo ainda registo de produção a biomassa, gás natural e hídrica, além de alguma importação.

 

Esse excedente (entre eólica e restantes fontes) permitiu alimentar um conjunto de centrais hidroelétricas com sistemas de bombagem, que aproveitaram os baixos preços da eletricidade da última madrugada (resultantes da abundância de eólica na rede) para consumir eletricidade e reabastecer as suas albufeiras.

 

De acordo com os dados do OMIE, o operador do mercado diário do mercado ibérico de eletricidade (Mibel), o preço grossista em Portugal e Espanha afundou-se esta madrugada para 2,67 euros por megawatt hora (MWh), durante várias horas.

 

Mas ao fim do dia o preço grossista ultrapassará os 200 euros por MWh, segundo a mesma fonte, e parte da energia que será produzida nesse período será oriunda de centrais hidroelétricas.

Partilhar