NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O Banco Africano de Exportações e Importações (AfreximBank) tem cerca de 1,3 mil milhões de dólares (mil milhões de euros) para investir em projetos em Angola, divulgou o Governo angolano no seu 'site' oficial.

O presidente do AfreximBank, Benedict Oramah, foi hoje recebido em audiência pelo Presidente da República, João Lourenço, no Palácio Presidencial, em Luanda.

 

Segundo o Governo, estão disponíveis um financiamento de mil milhões de dólares para implementar diferentes projetos ligados ao setor da energia e águas, bem como carteiras de crédito para apoiar os bancos nacionais, valores que poderão ser disponibilizados no decurso deste ano.

 

O representante do banco africano abordou, com o Presidente angolano, "questões específicas e prioritárias para o país, entre elas o projeto de fornecimento de água à cidade de Luanda, orçado em cerca de 900 milhões de dólares [742 milhões de euros], e o projeto do Corredor Ferroviário do Lobito, orçado em cerca de três mil milhões de dólares [2,4 mil milhões de euros]", segundo a informação do Governo angolano.

 

No encontro, foram também tratadas questões relacionadas com uma futura ligação ferroviária que poderá existir entre Luanda e Cuito, bem como os caminhos-de-ferro de Luanda e Benguela, e os projetos de construção e concessão da refinaria e do porto do Lobito.

 

"Outro assunto tratado entre as partes foi a vacina contra a covid-19, uma vez que o Afreximbank foi mandatado pela União Africana para comprar 270 milhões de doses", das quais Angola receberá uma parte, indicou ainda a informação veiculada pelo governo.

 

A delegação que acompanha o presidente do Afreximbank é composta por vários empresários, "alguns com uma forte ligação de trabalho em Angola, como é o caso de Ahmed El Sewedy", presidente de um grupo egípcio (Elsewedy) com vários interesses no país.

 

Em agosto de 2018, o Presidente da República, João Lourenço, revogou, por despacho, um contrato de 33,8 milhões de dólares atribuído aos egípcios da El Sewedy Power pelo anterior chefe de Estado, José Eduardo dos Santos, invocando o "interesse público".

 

Em causa estava um contrato atribuído ao grupo egípcio em janeiro de 2016, para o fornecimento e instalação de sete grupos geradores GE-16V228, visando o reforço da capacidade de produção de eletricidade da central termoelétrica de Saurimo, província da Lunda Sul, em 19,6 MegaWatts.

 

De acordo com um levantamento feito na altura pela Lusa, só em janeiro de 2016, o grupo El Sewedy Power ganhou, por despachos assinados pelo ex-presidente da República, outros dois concursos do género, totalizando quase 340 milhões de dólares (280 milhões de euros).

 

O AfreximBank é uma instituição multilateral de financiamento do comércio pan-africano, sediada no Cairo, Egito.

Partilhar