NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A easyJet reportou um lucro antes de impostos de 455 milhões de libras (524,60 milhões de euros) no segundo semestre do ano fiscal, anunciou a empresa esta terça-feira, num “desemprenho recorde” que representa uma melhoria anual de 633 milhões de libras (729,83 milhões de euros).

Os números foram divulgados pela empresa em nota de imprensa, na qual dá destaque ao desempenho do mercado português, que registou números recorde.

 

“No ano fiscal de 2023, a easyJet testemunhou sucessos notáveis, com Portugal a emergir com um desempenho de destaque em vários aspetos-chave. O mercado português demonstrou um crescimento significativo em comparação com 2022, sublinhando o desempenho robusto da companhia aérea na região”, refere a empresa no mesmo comunicado.

 

Quanto à easyJet Holidays, a agência de viagens do grupo, o lucro antes de imposto subiu 221% para 122 milhões de libras (140,66 milhões de euros). Para o próximo ano fiscal, a empresa antecipa um crescimento acima dos 35% na easyJet Holidays, “com os preços médios de venda a aumentarem”.

 

Voltando ao mercado português, a easyJet refere que “manteve uma posição de liderança na Madeira – Funchal e Porto Santo”, tendo assegurado o “segundo lugar nos principais aeroportos do continente – Porto, Lisboa e Faro”.

 

Em 2023, “a easyJet atingiu números recorde em Portugal este ano, com a disponibilidade de lugares a rondar os 10,8 milhões e as reservas os 9,8 milhões. Estes são os melhores resultados de sempre e para o próximo ano perspetiva-se novos números recorde de oferta e procura, com um aumento de 4% de lugares e 6% de reservas, demonstrando a popularidade da companhia aérea e a confiança dos consumidores, reflexo do forte investimento da companhia no mercado nacional”.

 

Por quotas de mercado, o Funchal garante 23%, Porto Santo regista 38%, e, em Portugal continental, o Porto regista, Lisboa 14% e Faro 19%. Além disso, prossegue a companhia na mesma nota, a easyJet “mantém-se líder nos fluxos entre Portugal: Suíça, França e Reino Unido”, números reveladores de “uma grande presença da companhia em Portugal, com margem para crescer ainda mais, no próximo ano”.

 

Johan Lundgren, CEO da easyJet, sublinha que a empresa tem “uma perspetiva positiva para este ano, com as reservas de passagens aéreas e de férias a aumentarem de ano para ano”.

 

“Sendo o mercado britânico de grande relevância para o turismo em Portugal, damos a conhecer um estudo realizado recentemente sobre os consumidores salienta que cerca de três quartos dos britânicos planeiam gastar mais nas suas férias do que no ano passado, continuando as viagens a ser a principal prioridade das despesas discricionárias das famílias”, continua o mesmo responsável, citado na nota de imprensa divulgada esta manhã.

 

Em O Jornal Económico

Partilhar